Billy Porter é fada madrinha gay e negra em nova "Cinderela"

Fab G, a fada madrinha de Billy Porter para "Cinderela"
 

Já disponível na Amazon Prime, a nova versão de "Cinderela" veio dando o que falar. A adaptação deixa de lado as princesas brancas e loiras e dá destaque a latina Camila Cabello, com um roteiro longe da menina humilhada que sonha encontrar um príncipe, o conto de fadas é uma versão feminista e atualizado, com destaque para a fada madrinha, interpretada por Billy Porter.

Negro e gay, o ator dá vida a "Fab G", cheio de magia, a inclusão e diversidade dão o tom da produção, já Billy, não por acaso ocupa o papel. Mais conhecido no Brasil por seu papel na série "Pose", o estadunidense de 51 anos ganhou em  2013 o Tony Awards (o Oscar dos Musicais) por sua atuação em "Kinky Boots".

Billy Porter ao lado do marido, Adam Smith, no Oscar de 2019

 

"A magia é espiritual" afirma Billy em entrevista ao Splash da UOL, o ator sempre brincou com gêneros em suas aparições em premiações e tapetes vermelhos. Em "Cinderela" ele mais uma vez adotou itens do guarda roupa feminino para dar vida ao personagem.

Toda a trajetória de sucesso do ator, esconde alguns traumas que ele revelou recentemente. Em maio desse ano Billy contou que é soropositivo. "Saí do útero como uma rainha: abusado sexualmente pelo meu padrasto dos 7 aos 12 anos; me assumindo gay no meio da crise da AIDS; não houve um momento que eu não vivesse em trauma", afirma.

A máquina Billy Porter não para de produzir, agora ele trabalha em um livro de memórias que deve chegar em outubro desse ano. Outra aposta do artista será a direção do filme "What If?", além de ser tema de um documentário produzido por Ryan Murphy. Em sua trajetória, só lhe falta um Oscar, que com certeza fará companhia ao Emmy, Grammy e Tony que o ator já guarda em sua estante.