Afeganistão: gay é estuprado por talibãs ao tentar fugir do país

Soldados do Talibã no Afeganistão. - AFP
 

Um jovem que não teve seu nome revelado, foi enganado, agredido e estuprado por integrantes do Talibã, ao tentar fugir do Afeganistão. A história foi contada ao canal britânico ITV, pelo militante Artemis Akbary, que vive atualmente na Turquia. 

A vítima tentava fugir do Afeganistão e conversou on-line durante três semanas com dois homens, que o ajudariam a fugir do país. Na verdade o jovem não sabia, mas estava conversando como integrantes do Talibã.

O chegar em Cabul, capital do país, e se encontrar com os dois homens, a vítima foi agredida e estuprada. Eles ainda forçaram o jovem a informar o número do telefone de seu pai. A intenção dos agressores era informar ao pai do jovem sobre sua sexualidade.

No Oriente Médio, em países de política extremista, é comum que pais ao descobrirem que o filho é gay, o expulsem de casa, ou o entreguem a grupos radicais. Não é raro que as vítimas sejam agredidas e mortas.

Talibã é uma ameaça aos direitos humanos

Desde o dia 15 de agosto, o Talibã tomou o poder do Afeganistão. O governo de extrema direita conservadora, proíbe mulheres de estudar e trabalhar, pune com a morte casos de homossexualismo e mata a sangue frio seus opositores. 

"O [Talibã] está tentando dizer ao mundo "nós mudamos e não temos problemas com os direitos das mulheres e direitos humanos". Eles estão mentindo. O Talibã não mudou, porque sua ideologia não mudou", afirma Akbary.