Header Ads

Últimas

Pesquisadores brasileiros podem ter descoberto a cura do HIV

Dr. Ricado Diaz / Foto: Divulgação/Unifesp


Uma pesquisa feita com cerca de 30 voluntários, apresentou resultados positivos sobre a cura do HIV. Encabeçado pelo infectologista Ricardo Sobhie Diaz, e pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp),  a pesquisa conseguiu eliminar o vírus de uma pessoa que convivia há sete anos com a doença.

O estudo começou em 2013 e usou um misto de medicamentos além do já conhecido "coquetel" para eliminar o vírus do organismo. Os voluntários possuem carga viral indetectável e foram divididos em seis grupos. Cada um deles recebeu além dos três medicamentos já utilizados no tratamento contra o HIV, uma outra combinação de remédios.

NOVOS MEDICAMENTOS

Nesse processo foram utilizadas duas substâncias que apresentaram um resultado animador, a nicotinamida – uma das duas formas da vitamina B3, que mostrou ser capaz de impedir que o HIV se escondesse nas células; e a auranofina – um antirreumático, que revelou potencial para encontrar a célula infectada e levá-la ao suicídio.

VACINA

Mesmo com a resposta animadora da nicotinamida e auranofina para a redução da carga viral, os pesquisadoras precisavam de algo para aumentar a imunidade dos pacientes contra o vírus. Assim, criaram uma vacina, feita com o próprio DNA do paciente, mais especificamente, com células de defesa e peptídeos do próprio indivíduo em tratamento.

Esse processo torna a "cura" mais cara, tendo em vista a personalização da vacina, mas ainda assim é um resultado animador. Apesar da notícia positiva, o infectologista alerta que é preciso evitar a exposição ao vírus, e que a infecção com o HIV ainda é grave e deve ser evitada com o uso de preservativos. “A pessoa com HIV, mesmo com carga viral indetectável, passa por inúmeros processos inflamatórios devido aos efeitos colaterais dos medicamentos", explica.

EXPLICANDO EM MIÚDOS

Para quem ficou interessado em entender melhor a pesquisa, os resultados e sua importância, deixo aqui um vídeo do canal "Super Indetectável" do querido João Geraldo Neto, explicando melhor tudo.


Nenhum comentário