Header Ads

Últimas

Parada LGBT de SP causa polêmica ao não convidar nomes como Salete Campari e Silvetty Montilla

Silvetty Montilla e Salete Campari


No último dia 14 de junho, domingo, aconteceu a Parada do Orgulho LGBTQ+ de São Paulo, o evento teve pela primeira vez uma edição totalmente online, devido as políticas de combate e prevenção ao COVID-19. A parada que foi  transmitida via Youtube, causou polêmica ao esquecer nomes de peso da cena paulistana, como Silvetty Montilla e Salate Campari.

A assessoria divulgou uma nota tentando explicar o acontecido: “Por questões contratuais, tempo e produção, algumas pessoas LGBTs de São Paulo ficaram faltando, mas muito conteúdo importante sobre democracia, tema da Parada SP deste ano, além de muita alegria e diversão foi ecoada para milhões de pessoas neste domingo”.

Logo surgiram vídeos de várias drag's apontando que foram esnobadas pela organização do evento, justamente nomes de peso na militância e que há anos lutam pela causa LGBTQ+. Alguns apontaram o fato de que apresentadores e comentaristas pertenciam a mesma agência de conteúdo, além do notória faixa etária dos convidados, que nessa edição, era demasiadamente jovens.

ÍCONES DO LADO DE FORA

A drag Kaká di Polly, que literalmente teve que deitar no meio da Avenida Paulista para a primeira Parada acontecer, fez um vídeo desabafo onde questionou a ausência do convite para elas e outras grandes drag's da cena. "associação vagabunda", citou Kaká ao se referir a Associação da Parada LGBTQ+ de São Paulo.

Silvetty Montilla, drag ícone e uma das mais famosas do Brasil, também se pronunciou em vídeo e desabafou sobre a ausência do seu contive. A organização retrucou, e disse ter convidado a artista por e-mail, mas que ela não teria visto o convite.



UMA NOVA PARADA

Como forma de protesto, uma nova Parada Virtual está sendo encabeçada pela drag Salete Campari. No dia 28 de junho, dia do Orgulho LGBTQ+ , às 18h, ela transmitirá também no Youtube o evento, que dessa vez irá reunir nomes de peso na história da militância em São Paulo que foram esquecidos pelo organização da parada oficial. "Acho importante chamar pessoas que admiro pela militância" pontua Salete.

Thalia Bombinha, Dimmy Kieer, Márcia Pantera, Paulette Pink, Divina Núbia, Lyza Bombom e Dany Colt, são outros nomes que devem participar do evento, que está sendo organizado sem qualquer apoio da Associação da Parada de SP ou do governo. Uma vaquinha virtual foi feita pelas próprias drag's para custear a transmissão, que será gravada num estúdio de amigos.

Nenhum comentário