Header Ads

Últimas

Unidades de Saúde do Brasil já disponibilizam testes rápidos para ISTs



Segundo o Ministério da Saúde, testes rápidos disponíveis nas Unidades Básica de Saúde por todo o Brasil, podem revelar diagnóstico de confiável de HIV, sífilis e hepatites virais, em até meia hora. Cerca de 14 milhões de kits de testagem rápida estão disponíveis no país.

Para a realização do teste é coletada uma pequena amostra biológica do paciente, podendo ser saliva ou uma pequena gota de sangue. A eficiência dos resultados dos testes rápidos é superior a 90%, de acordo com médico infectologista do Instituto Emílio Ribas, Jean Gorinchteyn.

“Existem vários métodos, desde coleta de saliva a testes com sangue e são misturados a um reagente de soro positivo. O teste tem uma taxa de acerto que vai de 92 a 95%, tendo uma alta sensibilidade.”

Os testes são na verdade um mecanismo de triagem, em casos de diagnóstico positivo, o paciente é encaminhado para um exame de sangue mais específico, para obter um resultado confirmatório e só assim iniciar o tratamento, exceto em casos muitos específico, como gestantes diagnosticadas com sífilis. 

ACONSELHAMENTO

Outra etapa do importante do processo é o aconselhamento, antes da realização do exames os pacientes assistem uma palestra de orientação sobre as ISTs, e na entrega do resultado também passam por um aconselhamento. 

A médica infectologista da Fiocruz Ana Cristina Ferreira explica que esse momento é muito difícil para o paciente porque ainda existe muito preconceito contra quem tem IST, principalmente o HIV. Ela ressalta também que com o tratamento correto, a pessoa infectada pode viver uma vida normal.
“É um preconceito que a gente tem que combater. Sempre tem um medo, mas a gente hoje em dia tem muitos recursos. Um tratamento para HIV faz com que a evolução mude completamente e a pessoa viva muito bem".

Segundo o Ministério da Saúde, em um ano cerca de 158 mil pessoas no Brasil, contraíram sífilis, além disso, 900 mil vivem com o HIV no país. Lembrando que a camisinha continua sendo o método mais eficaz para evitar a contaminação por várias ISTs.

Nenhum comentário