Header Ads

Casal relata episódio de homofobia em restaurante de Fortaleza



Thiago Sena, de 31 anos, e o namorado Belchior Araújo, de 25, usaram suas redes sociais para relatar o episódio de homofobia que sofreram no último sábado, 25 em um restaurante em Fortaleza. Segundo as vítimas, a gerente do local se aproximou da mesa em que os dois jantavam e pediu que eles “se comportassem”.

“Chegou uma funcionária da empresa, vestida de preto, ficou em pé. Pediu a gente pra que a gente se comportasse, que ela não tem nada contra a nossa escolha sexual. ‘Escolha não, orientação, corrigiu meu namorado’. ‘Só vou pedir que vocês se comportem’, repetiu a gerente, identificada como Tereza Cristina”, relata em matéria para o Tribuna do Ceará.

Restaurante Casa da Itália, fica localizado em Messejana
“O que estou fazendo aqui com meu namorado que preciso me comportar?” teria dito Thiago; a gerente alegou que aquele se tratava de um "ambiente de família" e que havia crianças no local. “Ela disse que sabia que era homofobia, mas que uma família havia ido reclamar e que era um direito deles reclamarem. Ninguém é obrigado a gostar de nada, mas todo mundo é obrigado a respeitar todos. Eles não têm o direito de me desrespeitar”, conta.

Após o episódio, Thiago e Belchior registraram um B.O e devem entrar com um processo civil e criminal contra o restaurante. É importante lembrar que Fortaleza possuiu a lei municipal Nº 8.211/98 que pune estabelecimentos comerciais que "discriminarem pessoas em virtude de sua orientação sexual".

Na segunda-feira, 24, o restaurante lançou uma nota onde diz ser contra qualquer tipo de preconceito ou descriminação, mas no texto, o estabelecimento não se desculpa pelo episódio de preconceito e nem assume ou nega que ele tenha ocorrido.


"A Casa da Itália vem a público informar que repudia todas as manifestações de preconceito e discriminação, sejam elas de homofobia, racismo, machismo, sexismo, preconceito de gênero, de sexualidades, de origem, de classe social, de religiosidade, de faixa etária, ou referentes a limitações físicas e os de quaisquer outras características que diferenciem e que possam ser utilizadas como elementos de segregação e/ou desqualificação de seres humanos. A Casa da Itália não tolerará atos de discriminação ou quaisquer condutas que afrontem o respeito aos nossos clientes.”.