Header Ads

Patinador americano recusa encontro com o homofóbico vice-presidente dos Estados Unidos

Vice-presidente norte americano, Mike Pence e o patinador Adam Rippon

Enquanto aqui no Brasil, o que mais existe é atleta enrustido, nos Estados Unidos os gays estão saindo do armário e mais do que isso, em plena era "trump", os esportistas LGBT's deixam claro seu orgulho. Um exemplo disso é o patinador americano Adam Rippon, que recusou um encontro com o homofóbico vice-presidente do país, Mike Pence.

Mike é chefe da delegação do país na cerimônia de abertura das Olimpíadas de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. No último dia 17 de janeiro, Christine Brennan, jornalista do ‘USA Today’, perguntou ao patinador sobre a presença de Pence na cerimônia de abertura: "Você quer dizer Mike Pence, o mesmo que fundou uma terapia de conversão de gays (ou terapia de reorientação sexual)? Não acredito", afirma o atleta, que é assumidamente gay.

Ao saber do comentário de Rippon, a assessora de imprensa de Pence, Alyssa Farah, prontamente enviou um comunicado ao ‘USA Today’: "O vice-presidente está orgulhoso de liderar a delegação olímpica americana e apoiar atletas incríveis. Esta acusação é totalmente falsa e não tem fundamento. Apesar deste mal-entendido, o vice-presidente estará, com muito entusiasmo, apoiando os atletas americanos em Pyeongchang", diz trecho da nota.

Mas não parou por aí. Mike, aparentemente, estava tão preocupado com os comentários de Adam que começou a colocar em prática a tentativa de falar com ele. David Baden, agente do patinador, no entanto, disse que seu cliente não iria mais comentar sobre o assunto no futuro.