Header Ads

1 em cada 4 gays brasileiros, nunca ouviu falar de remédios para prevenir HIV



A Unaids (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV-Aids), em parceria com um aplicativo de relacionamento, ouviu cercas de 3218 homens gays brasileiros,e descobriu que a maioria dos jovens gays do país nunca ouviram falar sobre a Profilaxia Pré-Exposição, popularmente conhecida como PrEP ou Truvada [se fossem meus leitores saberiam].

O resultado da pesquisa mostrou que um em cada quatro homens de 18 a 25 anos (24%) afirmaram nunca ter ouvido falar sobre este método de prevenção do HIV. Entre aqueles com idade de 31 a 40 anos, a porcentagem é de um em cada dez, ou seja, as novinhas estão passando vergonha.

Aos desavisados, a PrEP é uma das principais tecnologias ofertadas hoje para combater a epidemia de HIV no mundo. No Brasil, o tratamento foi regulamentadopelo Ministério da Saúde em 2017, e é ofertado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde a grupos específicos da sociedade, aqueles cujo
comportamento são considerados de risco, como profissionais do sexo.

O Brasil é o único país da América Latina a utilizar a PrEP como um método de prevenção combinada e auxilia, principalmente, em relações sorodiscordantes - quando um tem o vírus e o outro não. Ainda, estudos científicos confirmaram que um soropositivo com carga viral indetectável e tratamento em dia não transmite HIV.

A medicação consiste em pílulas antirretrovirais similares às tomadas por pessoas soropositivas. Para fazer uso da Truvada, entretanto, é necessário que a pessoa NÃO SEJA portadora do vírus causador da AIDS. Importante avisar também que a eficácia do tratamento na prevenção do equipe é de mais de 90%. Porém, a PrEP não previne das outras infecções sexualmente transmissíveis, como sífilis e hepatites, entre outras.

Para quem não entendeu muito bem o babado do PrEP, aqui tem vídeo da tia Lorelay e dos moços do "Chá dos 5" explicando tudo.