Header Ads

PM nega que vídeo de jovem morto por machadadas em Fortaleza foi motivado por transfobia



Desde a quarta-feira, 03, mais um vídeo de tortura começou a circular nas redes sociais e aplicativos de mensagem da capital cearense. Gravado em Fortaleza; boatos indicavam se tratar de mais uma tortura contra uma transexual no estado, mas segundo parecer do inquérito divulgado pela polícia, não há nenhuma informação de que a vítima seja cisgenero gay ou transexual, a hipótese é de que o crime tenha sido motivado por uma briga de facções criminosas.

"após um trabalho de apuração acerca da origem das imagens, foi constatado que se tratava do homicídio que vitimou Wesley Tiago de Sousa Carvalho (17), no bairro Praia do Futuro – Área Integrada de Segurança 10 (AIS 10), no último dia 30 de dezembro"diz a nota oficial divulgada pela Secretaria de Segurança do Ceará.

De acordo com o PM Marcos César Ferreira, lotado no 8° Batalhão, o crime ocorreu às 14h do dia 30 de dezembro de 2017, na Avenida Santos Dumont, próximo da Praia do Futuro. A vítima foi conduzido ao IML e foi enterrado como indigente. 

"Não apareceu ninguém para reclamar o corpo dele, ele estava sem documentos e a população ficou com medo de dizer o nome. A informação é de que tratava-se de uma briga de facção. Esse rapaz seria de uma gangue e os agressores de outra. Esse seria o motivo do assassinato. E o motivo da crueldade é que quanto mais cruel a morte, mais nome a gangue ganha", afirma o PM.

No vídeo, o jovem é atingido por tijolos, pedaços de pau e golpes de machado, inclusive na cabeça, enquanto grita de dor. As imagens são fortes e chocantes, mas apesar da afirmação da polícia, segue a dúvida se a vítima não era homossexual, tendo em vista que durante o crime ele é chamado de "viadinho" pelos assassinos. A polícia segue investigando para prender os culpados pela morte do jovem.