Header Ads

Defensoria Pública pode entrar com processo contra Ratinho, após declarações homofóbicas



A Defensoria Pública de São Paulo entrou na quinta-feira, 04, com uma representação pública para que a Secretaria de Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado instaure um processo administrativo contra o apresentador Ratinho do SBT, devido suas declarações homofóbicas, a informação foi publicada na coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Na quarta-feira, 03, o apresentador publicou um vídeo em seu Instagram onde criticou o que chamou de "muito viado" na programação da Rede Globo, se referindo a presença de personagens gays nas novelas da emissora.Vários internautas discordaram do famoso, que foi acusado de ser homofóbico. No mesmo dia, Ratinho pediu desculpas e alegou que tudo foi uma "brincadeira".

O Defensor Público Rodrigo Leal da Silva ressalta que a fala de Ratinho “é uma verdadeira exposição ampla via internet de ofensas homofóbicas proferidas contra os homossexuais de forma geral, tomando a homossexualidade masculina como algo negativo e ruim que, necessariamente, desqualificaria e depreciaria a programação de uma emissora de televisão”. 

Caso seja processado e julgado culpado, a Defensoria Pública pede que o apresentador seja multado por discriminação homofóbica, com fundamento na Lei Estadual nº 10.948 de 2001, que prevê punições administrativas para pessoas físicas e jurídicas por atos de preconceito por orientação sexual.