Header Ads

Após juiz manter "cura gay", conselho de psicologia vai recorrer da decissão



No último sábado, 16, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) anunciou que vai recorrer da decisão do juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal do Distrito Federal, que  manteve a liminar permitindo a psicólogos fazerem pesquisas científicas ou oferecerem tratamento a homossexuais que não aceitam sua condição (descritos como “egodistônicos”) e buscam tratamento de forma voluntária.

23 Conselhos Regionais de Psicologia assinaram uma nota que classifica como "equivocada" a decisão do juiz. A medida favorável a "cura gay" foi movida após um grupo de 23 psicólogos pedirem a suspensão da Resolução 1/99 do CFP que proíbe a abordagem de comportamentos homossexuais como doença.

"Em um país que desponta na quantidade de pessoas assassinadas por orientação sexual, não cabe à Psicologia brasileira a produção de mais violência, mais exclusão e mais sofrimento a essa população estigmatizada ao extremo. A Psicologia brasileira não será instrumento de promoção do sofrimento, do preconceito, da intolerância e da exclusão", diz trecho da nota publicada pelo CFP.

Leia a nota a íntegra clicando aqui.