Header Ads

Jovem é morto ao defender irmã trans de ataque transfobico



Crimes de ódio não são uma preocupação apenas para os LGBT's, a homofobia atinge e mata qualquer um que se opunha a violência e irracionalidade dos agressores. O jovem feirante, Petherson Roberto dos Santos Vicente, 24 anos, morador do Jardim São Luís, na Zona Sul de São Paulo foi a última vítima desse ódio doentio.

Ao tentar defender a irmã que sofria um ataque transfobico em praça pública, Petherson foi agredido e morto. Lorena Vicente, irmã da vítima, e transexual, estava em uma praça usando celular, quando Luiz Carlos Mariano, de 18 anos, começou a ofender a moça, por conta de sua identidade de gênero.

Incomodado, Petherson saiu em defesa da irmã, que estava sendo ameaçada de agressão por Luiz Carlos. "Ele ameaçou jogar a bicicleta em cima de mim e o meu irmão foi cobrar. Falar para ele respeitar, né? Só que aí ele veio, já começaram a discutir e entraram em luta corporal", disse a jovem em depoimento à polícia.

Segundo informações, o feirante deu um soco no suspeito, que revidou. Eles lutaram e caíram no chão. Petherson Roberto dos Santos Vicente bateu a cabeça, sendo alvo de mais socos já desacordado. O SAMU foi chamado, mas a vítima não resistiu e morreu no local.

O caso foi registrado como homicídio qualificado na 92ª delegacia policial, mesmo com indícios de crime de ódio. A polícia tem feito buscas para encontrar o acusado.