Header Ads

5 filmes de temática gay para assistir no Dia da Consciência Negra



Se já é difícil ser gay e se sentir representado na mídia, seja em série, filmes ou documentários, quando você é homo e negro a representatividade é quase inexistente, mas calma que eu disse quase. No dia da Consciência Negra, separamos algumas produções de temática gay que tratam também do racismo, ou que são protagonizados por artistas negros.

Entre dramas, documentários e musicais, a lista abrange ganhadores do Oscar e outras produções maravilhosas. Vale a pena separar algumas horas do final de semana e conferir essas produções, e você não precisar ser negro para fazer isso. Vem!


1. Blackbird - 2015

Longe de tensões raciais, essa produção conta a história de um jovem negro e de família cristã.  Misturando pitadas de humor, drama e musical, Randy é um jovem que precisa enfrentar o preconceito da religião ao mesmo tempo que se autodescobre como gay. Paralelo a isso, sua mãe, Claire Rousseau,  é uma mãe católica que faz o possível para conseguir aceitar seu filho gay. Não encontrei o filme no Netflix, mas no Youtube tem ele completo e legendado.



2. Naz e Maalick - 2015

Dois adolescentes muçulmanos escondem sua homossexualidade, atravessam o Brooklyn e lutam para declarar suas sexualidades. Ao mesmo tempo, seu comportamento secreto os leva, sem saber, a atravessar a Guerra do Terror, quando os dois são investigados pela polícia e suspeitos de serem terroristas.



3. Moonlight: Sob a Luz do Luar - 2016

Ganhador do Oscar de melhor filme em 2017,  o longa mostra os três momentos da vida de Chiron, um jovem negro morador de uma comunidade pobre de Miami. Do bullying na infância, passando pela crise de identidade da adolescência e a tentação do universo do crime e das drogas, este é um poético estudo de personagem. "Moonlight" está disponível no Netflix.



4. Young Soul Rebels - 1991

Chris é um DJ negro de Londres e administra junto com seu parceiro, Caz, uma rádio pirata. Na semana do Jubileu da Rainha de Prata, um amigo dele é assassinado num point gay e ele é preso pelo crime. Caz é gay e os dois vivem num momento de tensão e disputa entre os punks e a disco, em plena década de 70.



5. Paris is Burning - 2005


Paris is Burning, documentário dirigido por  Jennie Livingstone,  retrata a lendária cultura de Drag Queens nova-iorquina, a vida noturna, e a realidade de gays e transexuais nos anos 80. Vivendo à margem da sociedade e em guetos, gays, drag queens, transexuais, principalmente negros, tinham um enorme senso de comunidade e tratavam uns aos outros como família e é essa família que é representada em Paris Is Burnin. A produção está disponível no Netflix, no Youtube também é possível encontrar o documentário completo e legendado.