Header Ads

Poleginho e a polêmica do arco-íris: dá zero pra eles!



Não por um acaso a internet está repleta de gente disposta a cuspir ódio ao primeiro sinal de fumaça; que vale lembrar, nem sempre significa fogo. Nessa situação de guerra virtual entre fundamentalistas religiosos e amantes da extrema direita versus LGBT's e demais minorias, essa semana tivemos um episódio no mínimo inusitado e vergonhoso [não para a gente, mas para a galera do lado de lá].

A marca de queijo Polenguinho fez uma homenagem à capa do disco da banda de rock Pink Floyd, “The Dark Side of The Moon”, através de uma publicação em sua página no Facebook. A imagem icônica logo irritou alguns curtidores da página que confundiram a homenagem com um arco-íris, e se tratando de um símbolo gay, logo acusaram a marca de fazer “apologia à ideologia de gênero”.

Ou seja: eles acharam que se tratava de um "arco-íris" e logo ligaram pontos inexistentes para formular uma acusação e uma série de ataques de ódio. Parece piada, mas é verdade. A Polenguinho comentou o caso: 

Nossa equipe criativa teve como inspiração a capa do álbum The Dark Side of The Moon, da banda Pink Floyd, para “brincar” com o conceito de fominha, tão utilizado quando o assunto é Polenguinho. Prezamos pela paz, pelo respeito e pela igualdade em nossa comunidade aqui. Embora não tenhamos feito alusão ao movimento LGBT+, temos máximo respeito pela causa. Contamos com todos que adoram o queijinho mais querido do Brasil desde mil novecentos e bolinha para fomentar uma comunicação afetuosa e fluída por aqui! Obrigado.

Situação devidamente explicada, é hora de dar nomes aos bois, ou melhor, nomes aos equus africanus asinus, prefiro chamar assim, os protagonistas de tal papelão. Sacramentados como ignorantes na definição mais clara da palavra, percebemos que tipo de pessoas defendem ideias fundamentalistas de base religiosa ou qualquer baboseira proferida por certo deputado e militar. Não vamos generalizar, é possível sim ser estudando, culto, informado e ainda compactuar com tais ideias, mas isso não ajuda nada, pelo contrário, só piora a situação do tal indivíduo.