Trump proíbe a entrada de pessoas trans nas forças armadas dos Estados Unidos

Trump alegou que gastos médicos com pessoas trans estariam prejudicando o exército americano


Nesta quarta-feira, 26, a comunidade trans dos Estados Unidos foi surpreendida com um comunicado do presidente norte americano Donald Trump, proibindo que pessoas trans ingressassem nas forças armadas do país.

“Nosso Exército deve estar concentrado em vitórias decisivas e esmagadoras e não pode ser prejudicado com os gastos médicos e transtornos tremendos que transgêneros no Exército representariam. Obrigado”, escreveu ele no Twitter.

O anúncio de Trump, derruba um dos grandes avanços do governo de Barack Obama, responsável pela inclusão de trans nas forças dos Estados Unidos. Segundo Trump a decisão foi tomada juntamente com generais e outros militares. 

O governo não deixou claro o que irá acontecer com as pessoas trans que já integram as forças armadas do país. Estima-se que o número seja de 2.500, num efetivo de 1,3 milhão (consultoria Rand/ 2017).

CRÍTICAS

Caitlyn Jenner, ativista da comunidade trans usou o Twitter para criticar a decisão do presidente. Vale lembrar que Caitlyn é republicana e apoiou a candidatura de Trump. “Existem 15.000 transgêneros americanos patriotas nas Forças Armadas lutando por todos nós. O que aconteceu com sua promessa de lutar por eles?”, twittou Caitlyn, lembrando um tuíte onde Trump garantiu que lutaria pela comunidade LGBT. 

Em fevereiro deste ano ela fez duras críticas a Trump, pela revogação da medida criada pela gestão Obama que permitia a estudantes transgêneros usarem banheiros de acordo com suas identidades de gênero nas escolas públicas, considerando a decisão “um desastre”. Será que hoje Caitlyn se arrepende de ter votado em Trump?!