Header Ads

LGBTfobia no Ceará: LGBT é morta a tiros no interior do estado

Salomé, 25 anos, levou tiros a queima roupa quando saída de uma festa em São Luís do Curu



No domingo, 25, Fortaleza celebrava a XVIII Parada pela Diversidade Sexual do Ceará e gritava palavras de ordens contra o preconceito e LGBTfobia, tragicamente algumas horas depois, no interior do estado, mais uma LGBT seria morta e endossaria as estatísticas que fazem do nordeste uma região perigosa para ser gay, lésbica, trans ou travesti.

Salomé Bracho, 25 anos, foi morta a tiros município de São Luís do Curu, na madrugada do domingo quando saída de uma festa de forró. Segundo informações da polícia, dois homens numa moto atiraram contra  a vítima que morreu no local. Até o momento ninguém foi preso, mas a polícia continua as investigações para encontrar os assassinos.

"Tá todo mundo muito triste. Ela [Salomé] era muito querida, todos gostavam dela", afirmou um vizinho de Salomé ao G1, que preferiu não se identificar. "Todos ainda estão muito abalados. Era uma pessoa boa, não tinha nenhum envolvimento. Até o momento não se sabe o motivo, mas a gente acha que pode ter sido preconceito", disse outra fonte.

Esse é o nono caso de travestis/ transexuais mortas em 2017 no Ceará. 
Veja abaixo detalhes sobre os outros casos.

30.01 – O corpo de Paola, foi encontrado com marcas de violência. Ela foi morta a pauladas às margens da BR-116, no Município de Russas, na região do Vale do Jaguaribe. 

12.02 - Hérika Izidório foi espancada e jogada do alto de uma passarela localizada na Avenida José Bastos, morreu semanas depois no IJF-Centro.

20.02 - Dandara morreu após sofrer espancamentos e tiros, além de ter sido arrastado por ruas do bairro Bom Jardim. Os assassinos filmaram toda a cena do crime e postaram as imagens nas redes sociais. O caso chocou todo o país e foi destaque na mídia internacional também.

19.04 – Priscilla foi agredida a pauladas e chutes na Avenida Juscelino Kubisthchek, no bairro Castelão. Morreu dias depois no IJF-Centro.

08.05 - Jennifer, morta a tiros dentro do escritório do Sine/IDT na cidade de Itaitinga.

15.05 – Ketlin foi morta a golpes de faca nas proximidades do Terminal Rodoviário da cidade de Juazeiro do Norte, no Cariri.

29.0 – Sem o nome social divulgado, trans de 42 anos, assassinada a tiros na Rua Marcos Couto, no bairro Picuí, em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

15.06 -  Travesti assassinada no Conjunto Tupinambá, em Caucaia. Corpo estava semidespido e com várias marcas de violência, indicando a suspeita de um crime sexual.

25.06 – Salomé, 25 anos, foi assassinada, a tiros, ao sair de uma casa de forró, na cidade de São Luís do Curu.