Header Ads

Suposto affair de Dilma Rousseff é ativista gay

Dilma Rousseff e James N Green foram vistos juntinhos em Nova York


O mundo gira e Dilma Rousseff aprendeu isso. A ex-presidenta eleita do Brasil foi vista com um suposto affair e acreditem, ele é um ativista gay. O historiador norte-americano James N Green, de 65 anos, é companhia frequente da ex-presidenta, inclusive a foto de perfil dele no Instagram, é uma imagem dos dois.

No Brasil, Green é fundador do grupo "Somos" primeira organização LGBT do país e escreveu obras relacionada ao universo gay como o livro "Carnaval: A Homossexualidade Masculina no Brasil do Século XX", ele integrou Comissão da Verdade, sobre a Ditadura Militar em que contribuiu com estudos sobre LGBT torturados durante a ditadura.

Segundo fontes próximas, o historiador não para de falar sobre Dilma, ela participou de algumas palestras nos últimos dias nos Estados Unidos e os pombinhos teriam passado o final de semana juntos em Nova York. De volta ao Brasil, Dilma tem alguns compromissos e não por coincidência, Green também deve chegar no país, já nos próximos dias. Segundo registros, Green é heterossexual, por um momento foi cogitado a possibilidade dele ser bissexual, algo não comprovado.

Durante seu governo, Dilma se envolveu em algumas polêmicas relacionadas ao retrocesso de direitos da comunidade LGBT, "amarrada" pela bancada evangélica, a ex-presidenta não cumpriu a maior parte das promessas feita ao movimento de gays, lésbicas, trans e bissexuais.