Header Ads

5 verdades que todo LGBT precisa ouvir sobre as mães




1. Elas sempre sabem
Por mais que sua mãe faça cara de surpresa quando você resolve sair de "Nárnia", acredite, ela sempre soube. Mães tem um sexto, talvez sétimo sentido quando se trata dos filhos. Elas conhecem suas crias, bem mais até do que imaginamos. Se você acha que consegue fingir que não é gay, ela te supera fingindo melhor ainda que acredita nisso.

2. É difícil pra gente, mas também é pra elas
Assim como nós, lindos e maravilhosos moços homossexuais passamos por um processo as vezes longo e doloroso de auto-aceitação, para nossas mães funciona do mesmo jeito. Entender a nossa sexualidade é um desafio pra gente, imagina então para elas!? Passar por isso juntos só vai tornar a relação de vocês mais forte, pena que nem todo mundo tem uma mãe com a cabeça aberta o suficiente para contar e superar juntos essa etapa. Uma conversa sincera é um bom primeiro passo.



3. Elas têm medo
As vezes parece birra de mãe quando ela implica em não querer te deixar ir para a balada, ou simplesmente reclama quando você tem um rolé de final de semana com os amigos do vale. Entenda, mães tem medo, muito medo, inclusive. Num mundo onde o conservadorismo avança num duelo cruel, e notícias de crimes de ódio e  LGBTfobia estampam os jornais quase todo dia, é bem compreensível que uma mãe de um LGBT tenha tando medo de ver seu filho no mundo e imaginando ele sofrendo preconceito nas ruas. Gay, hétero, bi ou pansexual, para elas sempre seremos eternas crianças.

4. Elas são nossa definição de DIVA
Esqueça Madonna, Britney, Beyoncé ou qualquer cantora do pop, se você pensar bem, é provável que descubra que seu primeiro referencial de diva foi sua mãe. Se as maquiagens, saltos e vestidos delas falassem, com certeza entregariam suas performances mirins na frente do espelho e a pequena drag que você sonhava em ser quando criança. Nosso amor por essas mulheres tão "fechativas"deve ter surgido exatamente por causa delas. Mães são sempre divas!


5. Elas são humanas
Minha mãe não me aceita e agora? Esse trecho é dedicado aos moços que especialmente hoje, "Dia das Mães" só tem a recordar episódios tristes de preconceito e homofobia vindo da própria mãe. Infelizmente essa dor existe, mas tem algumas coisas na vida que nunca mudam, uma delas é que você é gay, a outra é que ela sempre será sua mãe. Aquela lição de que "o tempo é o melhor remédio", cabe bem nesse episódio. Mães são humanas e erram, mas nunca deixam de amar, cada uma ao seu modo. Deixe que o tempo passe, siga vivendo sua vida, cresça, amadureça, ame, e encontre as vezes em outro parente ou em amigos, aquele colo que infelizmente sua mãe não pode mais te dar.  Um dia, quem sabe no último, ela expresse o quanto sempre te amou.