Morre Hérika Izidoro, travesti de Fortaleza espancada por 20 homens

Hérika Izidoro foi agredida por 20 homens no dia 12 de fevereiro quando voltada de uma festa de pré-carnaval


Após 60 dias internada, a travesti cearense Hérika Izidoro morreu na última quarta-feira, 12 de abril. Espancada por 20 homens e jogada do viaduto na Avenida José Bastos, ela faleceu em decorrência de traumatismo craniano.

O crime aconteceu na madrugada do dia 12 de fevereiro, quando Hérika deixava uma festa de pré-carnaval e não retornou para a casa. Até hoje a família espera por informações sobre os agressores, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) tem mantido silêncio sobre o caso.

Hérika foi espancada três dias antes da morte de Dandara dos Santos, outra vítima de transfobia em Fortaleza. A primeira não teve compartilhado nas redes sociais as cenas da sua tortura e nem chamou a atenção nem os holofotes da mídia. Ao contrário de Dandara, que teve seus agressores presos e virou ícone do combate a intolerância, o caso de Hérika segue injustiçado.