Header Ads

Morre Hérika Izidoro, travesti de Fortaleza espancada por 20 homens

Hérika Izidoro foi agredida por 20 homens no dia 12 de fevereiro quando voltada de uma festa de pré-carnaval


Após 60 dias internada, a travesti cearense Hérika Izidoro morreu na última quarta-feira, 12 de abril. Espancada por 20 homens e jogada do viaduto na Avenida José Bastos, ela faleceu em decorrência de traumatismo craniano.

O crime aconteceu na madrugada do dia 12 de fevereiro, quando Hérika deixava uma festa de pré-carnaval e não retornou para a casa. Até hoje a família espera por informações sobre os agressores, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) tem mantido silêncio sobre o caso.

Hérika foi espancada três dias antes da morte de Dandara dos Santos, outra vítima de transfobia em Fortaleza. A primeira não teve compartilhado nas redes sociais as cenas da sua tortura e nem chamou a atenção nem os holofotes da mídia. Ao contrário de Dandara, que teve seus agressores presos e virou ícone do combate a intolerância, o caso de Hérika segue injustiçado.