“Eu não tinha permissão de interagir com gays" revela Katy Perry



Rainha do pop colorido, Katy Perry é capa da Vogue americana do mês que vem, a cantora deu uma entrevista reveladora para a publicação e contou como foi sua infância e adolescência. Filha de um pastor evangélico, ela nunca escondeu os problemas que teve por ser de uma família conservadora.

“Minha casa era igreja no domingo de manhã, igreja no domingo a noite, igreja na quarta-feira a tarde; você não celebra Halloween; Jesus te dá os seus presentes de Natal”, ela disse. “Essa foi toda a minha infância, juventude e primeiros anos da adolescência.” revelou.

“Eu não tinha permissão de interagir com gays, e isso é um tipo de racismo geracional”, contou a pop star que vale lembrar, ganhou a mídia após lançar "I Kissed a Girl", o hit onde ele conta que beijou uma garota e gostou. “Eu sabia que eu era curiosa, e mesmo naquela época eu sabia que sexualidade não era tão preta e branca como esse vestido”.

Claro que nada disso foi problema para Katy, que não sou virou queridinha entre o público gay, hoje ela é um ícone da música e referência na luta pelas minorias: “Essas pessoas [a comunidade LGBT] não eram nada como aquilo que eu fui ensinada a temer. Eles eram as pessoas mais livres, fortes, gentis e inclusivas que eu já conheci”, pontua.  Katy, sua fofa 😍

Veja algumas fotos do ensaio para a Vogue: