Único príncipe real gay do mundo é indiano e luta pela descriminalização LGBT



Via: Identidade G

Primeiro príncipe indiano a revelar publicamente sua homossexualidade pede atenção do governo para acabar com as leis que criminalizam a homossexualidade de seu país.

Manvendra Singh Gohil, 51 anos, gerou frenesi midiático em todo o mundo quando, aos 41 anos, decidiu sair do armário em 2006 - mesmo com a ameaça dos pais de deserdá-lo.

Desde que revelou sua homossexualidade, o primeiro príncipe real "gay" da Índia se tornou uma voz proeminente para a comunidade LGBT da Índia, país onde a homossexualidade ainda é considerada crime e um tabu em vários setores da sociedade.

O príncipe, que foi entrevistado por Oprah Winfrey em 2007, visitou recentemente Nagpur como convidado especial da 2ª Parada LGBTI organizada pela comunidade gay e não se esquivou de criticar o governo indiano por não alterar a lei desatualizada.



"Se a Índia quer ser respeitada em todo o mundo, não pode ignorar os direitos básicos das pessoas LGBT. É hora de a Índia sucatear as leis ultrapassadas impostas pelo governo colonial e proporcionar às pessoas LGBT os mesmos direitos civis."

Ele se casou aos 15 anos, por imposição familiar, mas se separou em 1992. Após se assumir gay, sua vida mudou radicalmente. Foi perseguido pela mídia e perdeu amigos que ficaram receosos de ser apontados como gays.

“Sou o único membro de uma família real no mundo que se assumiu gay, mas certamente não sou o único gay.”

Assista a um vídeo da Parada LGBTI de Mumbai 2017. As Paradas na Índia são ainda tímidas e mais silenciosas, mas como o país criminaliza a homossexualidade com base numa lei de 1860, é uma revolução.