Header Ads

4 motivos para você assistir "Trans-Ohno" do coletivo As Travestidas



Em cartaz no teatro Dragão do Mar nos dias 12, 19, 25 e 26 de março o novo experimento teatral do coletivo "As Travestidas", o espetáculo "Trans-Ohno", mistura dança-teatro com uma forte inspiração na cultura japonesa Butoh, criada na década de 50 pelos coreógrafos Kazuo Ohno e Hijikata Tatsumi. O Para Mocinhos assistiu o espetáculo e vamos te contar o que achamos, tudo isso dividido em cinco motivos para te fazer ir conferir a peça também.


A TEMÁTICA
Como de costume o coletivo "As Travestidas" abraça as questões relativas ao universo das transexuais e travestis. Dessa vez de uma forma extremamente pessoal, os artistas Diego Salvador e Rodrigo Ferrera incorporam seus alter egos femininos, respectivamente Yasmin Shirran e Mulher Barbada, e encenam sobre episódios e pessoas que influenciaram na criação de cada uma delas. Em alguns momentos é possível sentir a mistura entre o personagem e as experiências reais, frutos do processo de criação.

DANÇA E MÚSICA
Enquanto Yasmin Shirran encanta com a dança e o corpo, Mulher Barbaba prende pela voz e força. O espetáculo explora o que cada uma das artistas sabe oferecer de melhor. Alternando entre atos solos e com a participação das duas, a música e a dança andam de mãos dadas em toda a peça, seja na sutileza de uma ou na força da outra.
Dica: como de costume, Yasmim insere no espetáculo uma música da banda norte-americana "Antony and the Johnsons", cheia de melancolia e dor, algo que eles fazem muito bem, a música "Cut the World" serve de trilha para um dos atos mais lindos de Trans-Ohno.



FIGURINOS
Yasmin surpreende aos subir no palco usando um kimono, roupa típica das gueixas, mas o melhor do espetáculo ainda estar por vir, em pelo menos outras duas trocas de roupas ela encanta pela beleza dos movimentos e sentimentalismo que leva ao palco, seja pelo figurino ou nos atos que apresenta. Galhos, flores, sangue, papel e tinta são alguns dos elementos utilizados para mostrar toda a dor e graciosidade do desabrochar da personagem trans.

A SUTILEZA
De uma forma geral Trans-Ohno é uma expressão melancólica e lírica do surgimento de duas mulheres trans. O duelo entre o masculino e o feminino, a curiosidade e a dor que fazem parte disso e a violência de elevar seu corpo a condição de estar "condizente" com a sua mente feminina. A peça consegue demonstrar isso de uma forma linda, impactante e verdadeira.

Ficou curioso para assistir? Eu fui, gostei e indico.

Espetáculo Trans-Ohno
Quando: dias 19, 25 e 26 de março, sempre às 20 horas
Onde: Teatro do Dragão do Mar (rua Dragão do Mar, 81)
Quanto: R$20 (inteira)