Travesti é espancada por 20 homens em Fortaleza

Hérica Izidoro segue em estado grave, até o momento os agressores não foram identificados


Um crime abalou a comunidade LGBT de Fortaleza, a travesti Hérica Izidoro, 24, deu entrada no Instituto Doutor José Frota (IJF), de acordo com relatos de familiares ela foi espancada na avenida José Bastos, na madrugada do domingo, 12, após voltar de uma festa de Pré-Carnaval. Ela teve ferimentos graves na cabeça e no rosto, seu estado de saúde é grave. Nas redes sociais, amigos relatam que ela teria sido agredida por cerca de 20 homens, o motivo: preconceito.

Hérica saiu no sábado com amigos para uma festa de pré-carnaval e não retornou: "A gente sentiu falta porque percebemos que ela não tinha levado a bolsinha de maquiagens. Pensamos logo que tinha acontecido alguma coisa", narra Patrícia Castro de Oliveira, 33, irmã da vítima.

A família resolveu buscar informações na região da festa; "Tem um bar na esquina e um rapaz, muito debochado, disse que uma travesti apanhou 'até dizer chega'. Eu respondi que era minha irmã e ele não sabia o que era a dor da família", conta. 

Os familiares souberam do paradeiro de Hérica após contato do Centro de Referencia LGBT de Fortaleza, que soube do caso e iniciou uma busca pela família da vítima. "Minha mãe está desorientada porque se ela se recuperar vai ser uma criança, perdeu massa encefálica e teve traumatismo craniano. A orelha parece que foi cortada, está cheia de pontos. Não tem nenhuma outra motivação para isso além do fato dela ser travesti, então a gente só queria justiça ", afirma Patrícia.

Até o momento a Secretaria de Segurança não divulgou nenhuma informação sobre o crime e os agressores.