Após entrar com outro homem em Motel, Padre é encontrado ferido no quarto

Padre Clever Geraldo se recusou a chamar a polícia e ambulância / Foto: Arquidiocese de Divinópolis / Reprodução


Mais uma segunda-feira de trabalho comum para Rosa [nome fictício], faxineira do Motel Êxtase, no bairro Jardim Real (MG), a senhora só não imaginava que após a chegada do chaveiro para destrancar um dos quartos, ela iria se deparar com o padre Clever Geraldo de Souza, 55 anos, ferido, jogado no chão do quarto e com margas de agressão feitas por uma corda.

Apesar da recusa da vítima em aceitar a chamada de uma ambulância e o envolvimento da polícia, o caso chegou até a delegacia de uma forma incomum. Padre Clever pediu para chamar um táxi, assustado ao ver o homem com marcas de agressão, o taxista atendeu ao pedido da vítima, o deixou na Paróquia São Sebastião, na cidade de São Sebastião do Oeste, recebeu o dinheiro e o caso acabaria por aí. Não fosse a decisão do taxista em procurar a polícia e relatar o episódio. Pouco tempo depois a PM encontrou o religioso no hospital.

Segundo a Polícia Militar Rodoviária (PMR), que registrou o boletim de ocorrência, Padre Clever teria chegado ao estabelecimento em um carro na noite de segunda-feira (06/02) acompanhado por um homem. Já os funcionários do motel relataram que os dois passaram pela portaria rumo ao quarto por volta das 22h50m de domingo (07/02), em um automóvel modelo Siena, da marca Fiat. Depois de 40 minutos, a conta foi paga e o carro deixou o motel em alta velocidade.

Apesar da divergência de horários nos depoimentos uma coisa era certa, o padre entrou no motel com outro homem, e pouco depois foi agredido e abandonado no local. O que não vale para o depoimento do próprio, o religioso contou que não lembra de nada que aconteceu. Em nota, o bispo diocesano de Divinópolis, Dom José Carlos Campos, lamentou o caso, pois, segundo ele, revela e atrai as atenções sobre as mazelas dos membros da Igreja Católica.