Atirador mata cerca de 20 pessoas em boate gay em Orlando


O caso está sendo investigado como um atentado terrotista / Photo/Phelan M. Ebenhack

Na madrugada desse domingo, 12, por volta das 3h da manhã (horário de Brasília) um homem ainda não identificado efetuou disparos na boate "Pulse" em Orlando, nos Estados Unidos. Cerca de 20 pessoas morreram e 42 ficaram feridas, segundo dados divulgados pela polícia.

Ao chegar no local a polícia trocou tiros com o tal homem do lado de fora da boate, nesse momento ele voltou para dentro do local e fez algumas pessoas reféns por algumas horas. "Às... 5h nesta manhã, foi tomada a decisão de resgatar as vítimas mantidas reféns dentro do local. Nossos policiais trocaram tiros com o suspeito. O suspeito está morto", disse o chefe de polícia de Orlando, John Mina.

Para entrar na boate a polícia realizou uma explosão, o atirador portava um rifle, uma arma de pequeno porte e um dispositivo implantado em seu corpo, um tipo de "detonador". O tiroteio está sendo investigado como um caso de "terrorismo" segundo um porta voz do FBI. "Temos indicações de que o indivíduo tem inclinações por uma ideologia em particular" informou Ronald Hopper.

O atentado na boate "Pulse" em Orlando deixou cerca de 20 mortos / AP Photo/Phelan M. Ebenhack


 Me joguei no chão e me arrastei até o banheiro para sair pela porta dos fundos. Me deparei com um homem que havia sido baleado nas costas. Tirei minha bandana e fiz uma compressa para estancar o sangramento, mas ele não parava de sangrar. Então coloquei os braços dele ao redor dos meus ombros e o ajudei a sair de lá", relatou Christopher Hansen.

"Ninguém sabia ao certo o que estava acontecendo porque havia três ambientes tocando músicas diferentes. Depois que saí da boate, ainda escutei disparos. Logo em seguida, os paramédicos chegaram. Vi corpos por toda a parte. No estacionamento, as pessoas foram marcadas com cores diferentes ─ de modo que os paramédicos pudessem saber quem ajudar primeiro. Havia sangue por toda a parte", finalizou ele.



UPDATE

No final da tarde de domingo, 12, o número de mortos já chegava a 50 pessoas, tornando esse o maior massacre a tiros já registrado nos Estados Unidos.  Omar Mateen, 29, foi identificado como responsável pelo ataque, filho de pais de origem afegã, Omar teria ligações com o Estado Islâmico, tornando o massacre um suposto ataque terrorista.

"Foi reportado que Mateen fez ligações ao 911 (número de emergência) esta manhã nas quais ele afirmou sua lealdade ao líder do Estado Islâmico", afirmou o agente do FBI Ronald Hopper durante coletiva de imprensa na tarde do domingo.

Apesar das possíveis ligações com o EI, o pai de Omar, Seddique Mateen, nega que o filho tenha ligações com terroristas e que o crime tenha sido por motivos religiosos, a declaração foi feita durante entrevista ao NBC. Isto não tem nada a ver com a religião", disse, acrescentando que seu filho ficou transtornado, há mais ou menos dois meses, quando viu dois homens se beijando durante uma viagem a Miami. "Peço desculpas pelo incidente. Não éramos conscientes de que estivesse premeditando algum tipo de ação. Estamos em estado de choque da mesma forma que todo o país", finalizou.

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.