Fortaleza: Centro Dragão do Mar recebe mostra LGBT de teatro

A peça "Putos" faz parte da mostra LGBT de teatro e discute a vida e os dramas dos garotos de programa / Foto: Divulgação


Durante as quartas-feiras do mês de maio, o Centro Dragão do Mar de Arte de Cultura recebe a primeira edição da ObsCena Mostra LGBT de Teatro. O evento tem produção do Outro Grupo de Teatro, que compõe programação junto com o Coletivo Artístico As Travestidas, o Grupo Teatro de Caretas e o coletivo Garotos de Propaganda. Essas são algumas das companhias sediadas em Fortaleza que têm abordado as questões sobre diversidade sexual e de gênero em seus espetáculos. Os ingressos serão vendidos a R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia).

Na última quarta-feira (04), abrindo a programação, foi apresentado o espetáculo Histórias Compartilhadas (Outro Grupo). Com direção de Eduardo Bruno, o monólogo traz Ari Areia em uma performance sobre corpos que não se bastam. Trata-se de um documentário cênico que discute a transexualidade masculina, com recortes reais de histórias escritas a sangue, suor e lágrima. "É importante colocar em debate a transexualidade", destaca Ari, "fazer as pessoas pensarem e falarem a respeito dessa questão também é uma forma de combater a transfobia." Amanhã, 11, a mostra continua, levando aos palcos o espetáculo Final de Tarde do Grupo Teatro de Caretas. 

A ObsCena Mostra LGBT de Teatro é uma homenagem ao Festival de Cultura da Diversidade Sexual, For Rainbow, que acontece em outubro e em 2016 completa seus 10 anos de trajetória.

PROGRAMAÇÃO

04/05 | 20h - Histórias Compartilhadas (Outro Grupo)
11/05 | 18h – Final de Tarde (Teatro de Caretas)*
            20h – Putos (Coletivo Garotos de Propaganda)
18/05 | 20h – Cabaré das Travestidas (As Travestidas)
25/05 | 20h – Comer Querer Ver (Outro Grupo)



SINOPSES

"Histórias Compartilhadas" é um documentário cênico que discute a transexualidade masculina. / Foto: Emily Gama


Histórias Compartilhadas (Outro Grupo de Teatro)
18 anos. 50 min.

Corpo, Mídia, Gênero, Pênis, Mulher, Vagina, Homem, "Disforia". Fragmentos do Cotidiano e vozes misturadas. O eu como uma construção. O Gênero não como meritocracia das genitálias. Corpos que, na tentativa de coexistir, rompem os limites da resistência e fazem da presença um símbolo de luta. Para não se afogar em silêncio todos os dias e cada dia mais um pouco, a gente tem que gritar: Todos os corpos são certos. Um documentário cênico sobre Transexualidade Masculina.


Final de Tarde (Grupo Teatro de Caretas)
Livre. 50 min 
*Acesso Gratuito (Praça Almirante Saldanha)

Resultada da pesquisa "A Cidade como dramaturgia" realizada dentro do Laboratório de Criação Teatro de 2014, no Porto Iracema das Artes,  se baseia numa experiência diferente de teatro de rua, tanto na relação entre ator e público como na relação com a cidade. Esta é, além de cenário, a própria dramaturgia. Final da Tarde propõe uma experiência de atuação cênica baseada no detalhe da interpretação, onde proximidade e intimidade entre transeuntes e atores são os elementos centrais. Um aspecto importante é que os transeuntes não serão previamente informados da peça. O drama da personagem principal é marcado por situações de âmbito familiar, desde o casamento não desejado até a relação com a filha trans. 

Putos (Coletivo Garotos de Programa)
18 anos. 55 min

Quem nunca se sentiu Puto que atire a primeira pedra! Quem nunca esteve em uma situação, recorrente na vida, que lhe levou a fazer o que não queria? Um espetáculo sobre Meninos que se expõem como produtos em prateleira, prontos pra serem consumidos. Uma relação intrínseca entre cena e platéia, juntas em um ambiente de revelações e constatações envoltas num frenesi de sensações. Através da pesquisa, experimentos, intervenções e interlocuções, discutem a partir da prostituição viril, a prostituição das relações humanas.

"Cabaré das Travestidas" reúne nos palcos a arte transformista da dublagem, humor, dança e suas vertentes / Foto: Leonardo Pequiar


Cabaré das Travestidas (As Travestidas)
18 anos. 60 min

Trabalho de teatro festa do Coletivo As Tarvestidas que tem como princípio o transformismo, Talk Show, improviso e atualidades. Um espetáculo composto por interação com público, Músicas ao vivo e dublagens, recheado e humor e glamour. Teatro-festa que desde 2010 acontece com destaque na cena cearense e nacional. O projeto questiona o papel da arte transformista nas artes cênicas, sua saída dos guetos para palcos de teatro, lançando luz e valorizando essa expressão. Dublagem, humor, talk show e improviso em miscelânea de diversão e sensibilidade crítica. O espetáculo tem passagem por temporada no CCBNB Fortaleza, Teatro Carlos Câmara, Theatro José de Alencar e a Virada Cultural Paulista 2015 onde foi sucesso de público.


Comer Querer Ver (Outro Grupo de Teatro)
16 anos. 50 min

Em Comer Querer Ver, o público é jogado de um lado para o outro por um homem estático em seus minutos de elucubrações, é esmagado pelo peso de um casal na iminência do fim de relacionamento, é surpreendido por entender o ‘não dizer nada com nada’ de um poeta apaixonado e, por fim, é despido peça por peça pela visão, a paixão e o tesão que ateiam fogo em qualquer um entre o primeiro olhar e a primeira noite. Quatro histórias, dois atores, um banco e uma luminária. Uma comédia sobre a instabilidade das relações humanas.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.