Azealia Banks é banida do Twitter após comentários homofóbicos e racistas

Azealia Banks foi banida do Twitter após postar ataques racistas e homofóbicos contra Zayn Malik


Tava bem suave curtindo um final de semana em Natal, longe da internet e nem aí pro resto do mundo, quando chego em casa, pow, descubro que a mais barraqueira do Twitter foi banida da rede social. 

Azealia Banks teve sua conta deletada no último dia 12, quinta-feira, depois de uma série de ataques ao ex-One Direction Zayn Malik. Azealia acusou o cantor, que agora segue em carreira solo, de plágio, pelo lançamento do clipe de " Like I Would", liberado na segunda-feira, 09.

O babado foi tão pesado que a gente preferiu nem postar aqui os tweets da Azealia aqui. Zayn que é de família com origem paquistanesa, sofreu com os comentários da rapper, que chamou a mãe do cantor de "refugiada suja". O britânico manteve a compostura e postou: "Por que você está dizendo coisas sujas sobre mim? Eu nem estava falando com você". 

Fãs denunciaram ao Twitter a postura da rapper, que teve sua conta deletada, Logo em seguida Azealia criou uma nova conta e tentou tirar satisfações com a redes social sobre ter sido banida, mas ela acabou sendo banida novamente ~ bem feito. 

A rapper também teve prejuízos por causa das postagens de péssimo gosto, ela que se apresentaria no festival londrino Born & Bred, que acontece nos dias 4 e 5 de junho, acabou sendo retirada da line up e não se apresentará mais.


DESCULPAS

No domingo, 15, Azealia usou sua conta no Instagram para pedir desculpas pelas ofensas. 

“Agora que os ânimos se acalmaram, eu pensei mais racionalmente sobre o assunto e quero pedir minhas sinceras desculpas ao mundo”.

“Fazer uso de estereótipos racistas e sexistas pra tirar sarro de uma pessoa é absolutamente inaceitável e não é engraçado pra ninguém. Eu deixei minha raiva assumir o controle e insultei milhões de pessoas sem nenhuma razão. Por isso, eu peço desculpas”, explicou.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.