Após insultos, Jean Wyllys cospe em Bolsonaro, durante votação do impeachment

Jean Wyllys cuspiu o também deputado federal Jair Bolsonaro, após ser chamado de "veado", "queima-rosca" e "boiola" pelo parlamentar


Sim, você não leu errado, o deputado federal  Jean Wyllys (PSOL - RJ) cuspiu no também deputado, Jair Bolsonaro (PSC - RJ), durante a votação do impeachment da presidente Dilma, no último domingo, 17 de abril.

O ato aconteceu após Jean Wyllys anunciar seu voto contra o impeachment. Eu cuspiria na cara dele quantas vezes eu quisesse, afirmou Jean. Segundo Wyllys, Bolsonaro o insultou chamando o parlamentar de "veado", "queima-rosca" e "boiola".
"Na hora que eu fui votar, esse canalha decidiu me insultar na saída e tentar agarrar meu braço; ele ou alguém que estivesse perto dele. Quando eu vi o insulto, eu devolvi com um cuspe na cara dele, que é o que ele merece", afirmou.
 Bolsonaro ainda não se pronunciou sobre a possibilidade de processar o parlamentar, já que segundo ele, esse foi um ato gravíssimo. 

"Eu vou ver o que eu faço. Isso aí é gravíssimo. Uma cusparada não pode existir no parlamento. Não gosto de processar ninguém, não. Tenho centenas de processos aí por homofobia. Respeito os outros e tenho direito a ser respeitado nas minhas ideias, palavras, votos e opiniões. Uma cusparada foge da normalidade", declarou Bolsonaro.

Jean usou sua página no Facebook para explicar os motivos do ato. "Ele cospe o tempo todo nos direitos humanos, na liberdade e na dignidade de milhões de pessoas. Eu não saí do armário para o orgulho para ficar quieto ou com medo desse canalha" publicou Jean.


Leia o texto na íntegra:


SOBRE O CUSPE AO FASCISTA

Depois de anunciar o meu voto NÃO ao golpe de estado de Cunha, Temer e a oposição de direita, o deputado fascista viúva da ditadura me insultou, gritando "veado", "queima-rosca", "boiola" e outras ofensas homofóbicas e tentou agarrar meu braço violentamente na saída. 

Eu reagi cuspindo no fascista. Não vou negar e nem me envergonhar disso. É o mínimo que merece um deputado que "dedica" seu voto a favor do golpe ao torturador Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do DOI-CODI do II Exército durante a ditadura militar. 

Não vou me calar e nem vou permitir que esse canalha fascista, machista, homofóbico e golpista me agrida ou me ameace. Ele cospe diariamente nos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais. Ele cospe diariamente na democracia. 

Ele usa a violência física contra seus colegas na Câmara, chamou uma deputada de vagabunda e ameaçou estuprá-la. Ele cospe o tempo todo nos direitos humanos, na liberdade e na dignidade de milhões de pessoas. Eu não saí do armário para o orgulho para ficar quieto ou com medo desse canalha. 

#FascistasNãoPassarão

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.