Sobre o drama de chegar no boy e a dúvida mortal: Será que ele é gay?



Existe alguma regra básica ou dica certeira para acabar com um dos maiores dilemas de todos os tempos do mundo gay? Não sabe do que eu tô falando ainda? Pois senta que eu te conto.

Uma das piores sensações do mundo é imaginar que um moço está te olhando, não ter a certeza disso e o pior ainda, não saber se ele é gay e nem fazer ideia de como chegar junto e tirar a dúvida. Essa semana recebi via inbox ~ aproveita e curte a página da gente no Facebook ~ a dúvida de um leitor fofo, que vou chamar de Davi. O moço está vivendo esse mesmo dilema, e veio desabafar com a gente. Catem a mensagem dele: 


Então, eu acredito muito que quando a gente tá carente, a gente vê coisa onde não tem. Eu faço academia e na academia tem um menino que eu sinto que as vezes ele me observa, às vezes ele passa muito perto de mim, sei lá...alguma coisa apita em mim quando vejo ele, é como se fosse uma química, sabe? Porém como eu estou muito carente eu não sei se minha consciência está me enganando e eu também não sei se ele é gay. Agora eu meio que não paro de pensar nele, já trocamos olhares algumas vezes, mas ele tá me deixando loco, porque eu não sei qual é a dele, não sei como falar com ele, não se ele é curte realmente.

Oh monas, quem nunca teve esse probleminha né? 
Conversei com Davi e tentei dar algumas dicas para o moço. Peguem caderno, caneta e anotem tudo:



1. No bate papo com Davizinho, ele avisou que não tem amigos gays, o que derruba a possibilidade de mandar um best friend fazer a "indicação". Isso mesmo, pedir pra sua amigue mais jogada chegar no boy, catar tudo e dizer pra ele: "Olha, aquele meu amigo tá afim de você". Se assim como Davi você não tem amigos para isso, vamos para a parte dois.

2. Facebook ajuda né mona?! Cata o nome dele, procura nas redes sociais, se não sabe, pede ajuda para moça da recepção da academia ~ ei mulher, como é nome desse menino alí? ~ e já faz uma busca completa. Fotos, amigos em comum, música que ouve, filmes que assiste, lugares que frequenta, tudo isso pode ajudar e dar uma infinidade de formas de chegar no boy ~gostos em comum são um tiro certo na hora de puxar papo ~ e tirar a dúvida ~ ela pode acabar no primeiro clique, inclusive. 

3. Se o stalk não deu muito certo, chegou hora de ser o atrevido das redes sociais. Manda pedido de amizade, se ele aceitar puxa papo no inbox. Já chega com um "Oi cara, acho que te conheço de algum lugar?!". Depois disso o resto é com vocês.

4. A última e derradeira opção é: CRIE CORAGEM E BOUA SORTHY!
Quando nada mais der certo, a última saída é tentar se aproximar, revesar aparelhos com o boy e tal hora se jogar mesmo, uma linha "face to face". O pior que pode acontecer é um não, e isso eu sei que qualquer um supera.

Lembrando que o fato de você ser gay não te dá o direito de julgar a sexualidade de ninguém. // Imagem ilustrativa


Informações básicas: se o boy diz que é hetero, please, não faça a linha "gay doida que quer fazer com um HT e se acha a tabacuda por isso", apenas respeite a condição sexual dele (ou pelo menos a que ele diz ter).

Agora é com vocês moços, leitores do blog. Já passarem por situações parecidas? Conta pra gente, mandem dicas e conselhos para o Davi ~  final dessa história a gente conta depois aqui no blog.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.