Após acusação de farsa, lágrimas e bacia com cebolas, Romagaga volta a web

Lavínia a esquerda e a direita Romagaga e a suposta bacia com cebolas

Para quem no íntimo achou que a novela Romagaga não passava de uma farsa melindrosa e que mais cedo ou mais tarde ela iria voltar ~ para alegria de uns e descontentamento de muitos ~ meus parabéns, vocês estavam certos.

Não durou uma semana após a o fim da personagem e já rolava na web a teoria de que o vídeo aos prantos não passava de uma farsa, e nesse caso comprovada. É que em determinado momento do vídeo alguém percebeu uma bacia de cebolas cortadas ao lado da web celebridade, provavelmente usada para provocar as lágrimas na personagem.


Teve gente que não gostou da farsa e se sentiu enganado, afinal, enquanto alguns defendiam a Romagaga vitimizada pela transfobia e ameaças de morte que sofreu na web, outros só conseguiam ver uma oportunista capaz de tudo por likes e compartilhamentos ~ e talvez eles estivessem certo ~ alguns apostavam até que logo ela voltaria a web de novo. DITO E FEITO!

Na madrugada de hoje, 23, a trans Lavínia já havia dado lugar novamente a Romagaga, segundo ela a pedido dos seus fans e da amiga MC Trans que a convenceu a voltar com a personagem. 
Entre cegos, surdos e lesados, a personagem voltou e já está com sua página no Facebook ativa novamente, até agora ela não publicou nada explicando o episódio das cebolas e muito menos se desculpando aos que se sentiram enganados, já o discurso do vídeo de "retorno" segue a linha "avisa para a inimigas que voltei" além da afirmação de que foi vítima de transfobia e de como é difícil ser transexual no Brasil.


Essas inimigas me amam pois estou de volta chorem na cebolaaaaaaa󾌴󾌴󾌴
Publicado por Romagaga em Segunda, 22 de fevereiro de 2016

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.