Os 10 mandamentos para satisfazer um passivo

Quem vira de bunda sabe que não há nada melhor do que um macho-alfa penetrador, capaz de satisfazer até o passivo mais exigente.
E quem é ativo também vai concordar que não é nada mal contar com passivos espalhando maravilhas sobre você pela comunidade gay, não é mesmo?
Então, para a felicidade de passivos e ativos, aí vão os 10 mandamentos do ativo inesquecível:


#1. A pressa é inimiga da perfeição

Um erro comum dos ativos é partir direto para a penetração, esquecendo das estimulações prévias que o passivo precisa para se preparar.
Carícias, chupadas, mãos e boca por todo o corpo, beijo grego… Não importa! Há preliminares para todos os gostos, o que interessa é que você, ativo, use e abuse delas.
O passivo lembrará de você não apenas pela forma com que mete, mas, principalmente, pelo conjunto de satisfações proporciona. Do início ao fim.

#2. Mais vale um pequeno inteligente do que um grande troglodita

Muitos ativos se gabam de ter o pacote enorme e já se apresentam no chat como “superdotados”.
Ok, não dá para negar que uma piroca grande e grossa enche não só o cu, como também os olhos. Quem nunca se interessou por um calção bem preenchido, que atire a primeira pedra. Mas, uma coisa é fato: de nada adianta ter neca XXL e não saber usá-la.
Antes de mais nada, lembre-se de que você deve introduzir o pênis com cuidado e nunca de maneira selvagem. Em seguida, os movimentos devem começar lentos para, só depois, tornarem-se mais intensos. A dilatação do seu companheiro que vai dizer o nível de “britadeira” que você pode chegar, e nunca o contrário.
Não cometa o estúpido erro de muitos ativos que, por estarem em uma posição dominante, acham que podem enfiar loucamente sem lembrar que existe um edi de carne e osso do outro lado.

 #3. Sua satisfação é a minha satisfação

Um dos mais deliciosos prazeres que deve ter um ativo é ver que seu companheiro está subindo pelas paredes. No entanto, muitos gays dominantes, para não dizer a maioria, se preocupa só com o seu prazer, sem se importar como vai o do outro.
Na cabeça dura de muitos ativos, a satisfação do passivo está apenas em tomar vara e ponto. Poucos se interessam por tocar, chupar, perguntar, acomodar e buscar posições que aumentem a conexão com a outra pessoa.
O ideal é que vocês gozem juntos e essa também é sua responsabilidade. Por isso, faça a sua parte: lhe masturbe durante o babado, lhe toque e jogue com o frenesi das suas penetrações.
Não esqueça de que você está transando com outro homem, sempre bom lembrar.

#4. Selvagem na cama é ser sexy, não animal

Muitos ativos se portam como verdadeiros animais descontrolados da selva e não medem seu nível de penetração, nem a forma como penetram. Muitas vezes, a meta de ser um selvagem é tão forte que nem se preocupam em saber se o parceiro já está dilatado e suficientemente lubrificado para receber a vara.
O bom ativo é que o que não mostra sua habilidade com força na metida, mas sim com a maneira inteligente e deliciosa com que conduz o sexo. Isso quer dizer penetrar com cuidado, respeitando os limites do outro.


#5. Se deixar dominar às vezes é bom

Tem muito ativo por aí que acha que a sua função na cama é apenas de dominador. Mal sabem que deixar o passivo tomar as rédeas da situação também pode ser muito prazeroso.
Por isso, experimente fazer com que o seu companheiro assuma o controle também. Deixe que ele brinque com o seu pênis, que te amarre na cama, te cavalgue e que te tenha como seu “escravo ativo”.

#6. Posições, posições e mais posições

Você não precisa decorar o kamasutra gay, mas tem que conhecer ao menos as posições mais importantes, ou aquelas que sabe que vão satisfazer o seu companheiro.
Se você pretende deixar o boy de barriga para baixo todo tempo, será um ativo sem graça e facilmente substituível. Agora, se apostar em posições ousadas e interessantes, vai ajudar ele a estimular melhor sua próstata e lhe dará o prazer que tanto deseja.

#7. Palavras sujas, ouvidos excitados

Falar umas putarias no ouvido dele no meio da transa pode ser muito estimulante para ambos! A maioria dos passivos gosta de escutar palavras sujas e baixas enquanto tem um pau no meio da bunda.
Mas, atenção: tudo tem limite! Nada de usar expressões que ofendam a mãe, irmãos e demais família do parceiro. Você quer um boy excitado, e não transtornado.

#8. Um feio limpinho vale por três gatos sujos

Não há nada pior que um ativo sujo, simples assim. Se você não toma o bom banho diário, não limpa a sua área genital e não raspa o excesso de pelos que tem por ali (vejam bem, gente, eu disse o excesso), desculpa, mas não existe milagre.
Passivo nenhum vai querer abrir os caminhos da felicidade. Você deve estar limpo e perfumado para que o seu companheiro tenha gosto de te ter dentro dele. E o contrário também vale, obviamente.
Higiene é importante para todos, sempre!

#9. Menos medo, mais diversão

Já escutei muito ativo dizendo que jamais faria o beijo grego ou que é incapaz de chupar o pau do companheiro, pois essas “não são suas funções”.
Vamos combinar uma coisa: o fato de chupar ou beijar, seja lá onde for, não te faz mais ou menos ativo. Ao contrário, você estará ajudando a estimular o prazer da outra parte e esse será um ponto ao seu favor.
Por outro lado, se o passivo quiser te encher de carícias no edi, não tenha medo! A sua função é dar e não é negar prazer ao outro.
Lembre-se que é sempre bom se deixar tocar e beijar em algumas zonas que às vezes evitamos por medo ou constrangimento. Você pode se surpreender com o prazer que está escondido aqui e ali.

#10. Sem balão, não tem festa

De nada adianta ser o melhor ativo do mundo, mestre dos movimentos e expert nas 9 dicas anteriores, se deixa passar a regra mais básica: proteção!
Ativo que se respeita e deseja relações satisfatórias usa camisinha, SEMPRE

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.