Em livro Papa Francisco esclarece observações sobre gays



Em uma entrevista com o jornalista italiano Andrea Tornielli, o Papa Francisco foi questionado sobre como ele poderia agir quando um fiel confessa que é gay. A resposta dada a alguns anos atrás foi a seguinte:"quem sou eu para julgar?" As observações feitas abriram caminho para um diálogo mais acolhedor entre a igreja católica e os LGBT's, agora em 2016 o assunto voltou a ser comentado.

Lançado nessa terça-feira, o livro "O nome de Deus é misericórdia", traz o comentário de Francisco sobre o episódio. Na obra o Papa conta detalhes sobre a sua vida pessoal também.

"Naquela ocasião, eu disse o seguinte: Se uma pessoa é gay e procura o Senhor e está disposta, quem sou eu para julgar essa pessoa? Eu estava parafraseando o coração do catecismo da Igreja Católica, onde se diz que estas pessoas devem ser tratados com delicadeza e não de serem marginalizadas".

"Eu estou contente que nós estamos falando sobre 'homossexuais', porque antes de tudo vem o indivíduo, em sua totalidade e dignidade, e as pessoas não devem ser definidas apenas por suas tendências sexuais: não nos esqueçamos de que Deus ama todas as suas criaturas e estamos destinados a receber seu amor infinito. "

"Eu prefiro que os homossexuais venham a confissão e que eles fiquem próximos do Senhor e que rezamos todos juntos. Você pode aconselhá-los a orar, mostrar boa vontade, mostrar-lhes o caminho, e acompanhá-los ao longo dela." finalizou Francisco.

Apesar de toda essa declaração calorosa e afetuosa aos gays, o discurso de Francisco não diverge do senso entre alguns cristãos e principalmente protestantes onde afirmam "amar o pecador, mas odiar o pecado". No ano passado o Papa se envolveu ainda em algumas declarações e ações que divergem dessa postura calorosa, quando ele afirmou por exemplo que crianças devem ser adotadas por pais heterossexuais (veja aqui) ou quando ele se encontrou secretamente com uma tabeliã americana homofóbica que se recusou a casar gays (veja aqui).
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.