Astro de “Star Wars: O Despertar da Força” desmente romance gay entre protagonistas


Via: Lado Bi
Por: Marcio Caparica



Star Wars: O Despertar da Força já é, oficialmente, o maior filme e todos os tempos, tendo desbancado Avatar do pódio da maior bilheteria. Este também é o episódio mais diverso já feito pela franquia. Desde que estreou, um rumor vem se alastrando pela internet: os produtores da série estariam preparando o terreno para tornar esse campeão de bilheteria ainda mais inclusivo, revelando um relacionamento amoroso entre o stormtrooper Finn (John Boyega) e o piloto Poe Dameron (Oscar Isaac). Isso foi desmentido por Boyega essa manhã numa declaração ao jornalista Chris Mandle, divulgada por Twitter.

A esperança de tantos fãs de verem um romance gay na mais bem-sucedida franquia do cinema teve início quando Oscar Isaac foi convidado do The Ellen Degeneres Show, o programa de entrevistas de Ellen Degeneres. O ator declarou à entrevistadora que haveria algum interesse amoroso acontecendo nas entrelinhas do filme. “Acho que está acontecendo um romance muito sutil”, ele afirmou. “Sabe, você tem que olhar bem de perto – você tem que assistir algumas vezes para pegar as deixas. Mas está lá.”

Milhões de fãs passaram a ter a esperança de assistirem no próximo filme a franquia o desabrochar de um romance entre os dois protagonistas masculinos da nova história. Em vão. Chris Mandle, editor da revista Shortlist, tuitou: “Más notícias: John Boyega me confirmou que o romance entre Finn e Poe não faz parte do cânone e só existe “na cabeça do Oscar”. :-( “.

Foi bom enquanto durou: internautas criaram centenas de contos que descreviam o romance entre Poe e Finn, e desenhistas deram asas à imaginação retratando os dois juntos. Infelizmente, até segunda ordem, os únicos personagens LGBT de Star Wars estão nos romances oficiais da série.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.