Jovem gay expulso de casa ganha 15 milhões de dólares na loteria

Imagem ilustrativa


Via: Identidade G

Um homem gay de 29 anos, com perfil no Reddit denominado "IDontWanToGiveItUp" ('Eu não quero desistir', em tradução livre), a quem passaremos a chamar de IDont, escreveu para colher opiniões dos usuários sobre o que fazer com seus pais homofóbicos após ele ganhar um prêmio de mais de US $15 milhões. Detalhe: seus pais o ignoraram durante cinco anos, desde os 15 de idade, quando ele resolveu contar que é gay. 

Ele começa a mensagem dizendo ter noção de que seu 'problema' é privilégio para poucos e que não está exatamente se derramando em lágrimas por causa dele. "Só que isso está emocionalmente pesando sobre mim", justifica.

IDont diz que o previsto inicialmente era pagar hipoteca da casa dos pais, no entanto, eles descartaram a oferta e imediatamente passaram a exigir o dinheiro ou parte dele.

"Eu sou um cara de 29 anos e ganhei na loteria. É suficiente para que eu não precise trabalhar nunca mais se não ambicionar demais (mais de 15m )", escreveu ele.
"Meu problema? A minha família! Principalmente meus pais que acham ter direito a 1/4 do valor. Eu me ofereci para pagar suas hipotecas e ofereci-lhes uma pequena soma, mas isso não foi suficiente, uma vez que chegaram a cogitar receber o montante total."

IDont passou então a explicar o relacionamento difícil com seus pais a quem define como "mãe opressiva e pai distante". Segundo conta, as irmãs são legais, mas eles nunca tiveram um relacionamento mais íntimo. "É uma distante família branca de classe média", define o sortudo.

"Quando saí do armário eu tinha apenas quinze anos, e meus pais se recusaram a falar comigo por mais de cinco anos (entre 15-20). A conversa ficou feia quando minha mãe disse: 'Nós apoiamos você'. Naquela época, eu quase não consegui fazer o meu ensino médio por causa deles", conta.

No final, ele desabafa:

"Como explicar-lhes que os meus planos podem não envolvê-los? Será que devo procurar um advogado só por precaução? Eu não consigo imaginá-los me processando, mas o dinheiro provoca as pessoas a cometerem idiotices. Eu não quero estragar as relações, mas sinto que o estrago já está feito. Eu acredito que muitas pessoas aqui dirão: "Eles que se fodam".

A maioria dos envolvidos com o relato de IDont concorda com ele, com uma grande parte sugerindo que ele doe parte de seu prêmio a uma instituição de caridade LGBT... Em nome de seus pais.

Pessoalmente eu diria: perdoar é divino, mas fodam-se eles... pelo menos por um bom período. 

E você, o que faria no lugar de IDont??




Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.