Homem é acusado de drogar e matar jovens após encontro via aplicativo de pegação gay



Via: Pheeno

Um professor de educação especial, de Barking, no leste de Londres, foi a julgamento nesta segunda-feira (19/10) acusado de drogar e assassinar jovens que conheceu em sites de pegação para gays. Segundo o jornal britânico Metro, Stephen Port, de 40 anos, assassinava suas vítimas com GHB, droga conhecida como ecstasy líquido. De acordo com a publicação, o ataque as quatro vítimas aconteceram dentro de um período de 14 meses.

Stephen Port foi preso na quinta, 15/10
O procedimento era sempre o mesmo: começavam as conversas através de sites e aplicativos, e quando o nível de confiança era alto, Stephen convidava os homens para um encontro na sua casa. As vítimas, todos jovens com cerca de 20 anos, foram encontradas mortas a aproximadamente 1 quilômetro da casa do assassino. A polícia acreditava serem casos de overdoses acidentais, até que foi aberta uma investigação de assassinato na última semana.

Anthony Patrick Walgate, de 23 anos, foi encontrado morto em 19 de junho de 2014. Gabriel Kovari, de 22 anos, foi achado morto nas redondezas da igreja de St. Margaret em agosto de 2014. Cerca de um mês depois, Daniel Whitworth, de 21 anos, foi encontrado no mesmo local. O corpo de Jack Taylor, de 25 anos, foi encontrado em setembro deste ano. Segundo vizinhos, em algumas noites podia-se ouvir gritaria vindo de sua casa. O rapaz foi preso na última quinta-feira (15/10), após a polícia realizar buscas em seu apartamento.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.