Vereador cria projeto que obriga leitura da Bíblia na escola: "é um projeto positivo, ao invés de kit gay"



Na última quinta-feira, 02, o vereador Mizair Lemes Jr. (PMDB) propôs um projeto de lei que obriga a leitura da bíblia em escolas públicas de Goiânia. Segundo o vereador o projeto é fruto de uma pesquisa feita por ele, "sei que tem gente contra, mas fiz uma pesquisa e tive aprovação de 70 a 80% das pessoas”, afirmou.

“Acho que é um projeto positivo, ao invés de kit gay, de questões de ideologia de gênero que estão querendo colocar aí, isto não é positivo”. Para Mizair a Bíblia é um livro universal que tem um grande número de seguidores principalmente no Brasil. “A gente vê que quase a totalidade da população é cristã e o livro é usado pelo catolicismo, pelos evangélicos, até mesmo por pessoas do Espiritismo”.

Quando questionado sobre o estado laico o vereador afirmou que "o estado é laico mas não é ateu". Sobre o alunos não cristãos que não lêem a bíblia, eles têm “o direito de não concordar, mas também têm que respeitar” aqueles que creem no livro sagrado do cristianismo.
Mizair também é autor de projeto importantes [SQN] como o da criação do "dia do futebol", que inclusive foi aprovado por seus colegas da câmara.

* * *

É interessante observar no cenário nacional essa guerra de argumentos e opiniões quando se trata de política e religião, mas o que chama a atenção é o vereador citar o tal "kit gay" no meio de um discurso que em nada tem a ver com o tema e lutas da comunidade LGBT. Até parece que cutucar a "causa gay" serve de palco midiático. Pelo menos nos sites e blogs voltados para o público gay o vereador terá seu rosto estampado, mas não de forma positiva.

Já sobre seus comentários a respeito dos alunos que não leem a bíblia mas tem que "respeitar", fica o questionando se o Sr. Mizair está respeitando aos outros também, quando impõe a leitura de um livro que pode ser sagrado para ele e para suas maiorias, mas não é para todos.



Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.