Fortaleza colorida, mas ainda apolítica

Foto: @fortalezadetodas

No último domingo, aconteceu na Praça Verde do Centro de Arte e Cultura Dragão do Mar aqui de Fortaleza o 1° Festival do Orgulho LGBT do Estado, o “Ceará do Meu Orgulho”, o evento celebrou o Dia do Orgulho LGBT, comemorado em todo o mundo no dia 28 de junho, e pela primeira vez a capital cearense festejou a data.

Um grande evento, grandes atrações e que mostrou como é numerosa a comunidade gay de Fortaleza e como ela pode se reunir de forma massifica em único lugar, não apenas como forma de festejar algo, mas como um ato político, involuntariamente gritando e mostrando que nos existimos e que somos em grande quantidade.

Uma realização do Governo do Estado em parceria com a prefeitura e de mãos dadas com outras entidades locais ligadas ao movimento LGBT,  o evento deixou claro que apesar de todas as nuances da comunidade gay e de suas divisões ela pode estar junta em um mesmo lugar, atenção, eu disse "junta" e não "unida".

Entre as apresentações artísticas, grupos de dança, travestis, drags e DJ's locais que davam um show no palco, um discurso político soava aqui ou acolá. Era algo essencial, necessário e que infelizmente deixou claro que o que sobra em números falta em informação. As palavras de Thina Rodrigues, presidente da Associação de Travestis do Ceará (ATRAC) foram o mote da noite ao criticar a ausência daquele número imenso de gays nos eventos políticos ou de reivindicação em órgãos públicos.  

Thina não mediu palavras ao afirmar que o público alí presente gostava de festas, eventos e "aplicativos" se referindo aos app's de relacionamento, mas que aquilo não era suficiente, "é preciso se politizar", integrar o movimento, ser um gay politizado, afirmou. Entra palmas e expressões de espanto Thina fez finalmente aquela noite ter todo o sentido. Estávamos comemorando o ORGULHO LGBT, e isso incluía os direitos e conquistas, pena que a maioria dos presentes ainda não tinha percebido isso.

O fato é que um novo grupo se forma em Fortaleza, ficou claro que investimentos em eventos e ações sociais e políticas ao movimento LGBT serão mais constantes. Finalmente a capital cearense tem uma linha de frente forte, formada por empresários, grupos, associações, entidades, comunicadores e um representante político que estão unidos e focados na política igualitária (assim eu acredito). Agora é hora de munir os demais, isso inclui eu, você, seus amigos, enfim todos. Hora de saber nossos direitos, aquele que temos e o que precisamos ter, lutar, argumentar e politizar. 

VIADOS, UNI-VOS!
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.