Alunos denunciam professor por disseminar discurso homofóbico em sala de aula



Via: O TEMPO

Indignados com um suposto discurso homofóbico que teria sido proferido em sala de aula por um professor da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), um grupo de alunos e professores protocolou pedido na reitoria da universidade solicitando a abertura de uma investigação e o afastamento do docente.

Segundo a denúncia, o professor teria discriminado relações homoafetivas e repreendido alunos que se retiraram de sala em demonstração de repúdio ao discurso, enquanto a direção da faculdade teria tentado abafar o caso. A reitoria informou que está analisando o pedido para definir qual procedimento será tomado.

No documento, alunos e professores pedem a instauração de um processo administrativo disciplinar para apuração do que chamaram de uma sucessão de atos de discriminação, “lesbo-homofobia, autoritarismo, tentativas de silenciamento e desvios de funções”, que teriam ocorrido no fim de março.

Enviada anteontem para o reitor e a vice-reitora da universidade, a petição é assinada pelo Centro Acadêmico Afonso Pena (Caap) – do curso de direito –, pelo Centro Acadêmico do Curso de Ciências do Estado (Cace) e por cinco professores, sendo três da Faculdade de Direito e dois da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas.

Entenda

De acordo com os relatos, o professor teria demonstrado reprovação à existência de homossexualidade e lesbianeidade e enaltecido a heterossexualidade como algo “desejável e correto”. Alguns alunos que deixaram a sala no momento teriam sido chamados de “vagabundos” pelo professor, que teria ainda intimidado uma aluna que denunciou a história no Facebook.

Relevância acadêmica do tema

Recorrente. 0Professores defendem que universidades não deveriam se omitir com relação aos frequentes casos de violência contra a comunidade LGBT nas instituições. “A universidade não está alheia à sociedade, por isso é importante investigar”, defendeu o professor do Departamento de Psicologia Marco Aurélio Máximo Prado, que coordena o Núcleo de Direitos Humanos e Cidadania LGBT na UFMG e assinou o requerimento que pede a abertura da investigação contra o docente.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.