"Babilônia": nova novela da Globo chega de voadora com direito a beijo lésbico



Olá gayzinhos do meu coração!
Sim, hoje vamos falar de novela, porque adoramos isso, ainda mais se a novela já chega em seu primeiro capítulo dando uma voadora em todas as outras que a Globo já exibiu. Não entendeu? Senta aqui que a gente te explica.

"Babilônia" estreou na segunda, 16, e já veio dando tapas e mais tapas na cara da sociedade cristã, brasileira e conservadora, ao exibir um beijo lésbico entre as personagens Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathália Timberg), que convenhamos são vividas por duas atrizes boca.de.se.fuder e que tem cacife pra uma cena dessas.


Ao som de "Eu te desejo" da nossa diva rainha maior Maria Bethânia, o beijo cheio de amor e carinho chegou quando ninguém esperava e mais uma vez o tema gerou dezenas de comentários nas redes sociais. Inclusive recebemos via facebook o print de alguns gays criticando o beijo entre as atrizes, isso mesmo, eu disse que "gays" estavam criticando negativamente a cena.

O principal motivo era a idade das atrizes, que segundo alguns "nojento" ver duas mulheres daquela idade se beijando, mas pessoalmente achamos que motivo de nojo é ver e ler comentários desse tipo vindo de outros homossexuais.

Aprendam: o amor não tem idade e precisa ser manifesto e mostrado, e um dia o mesmo gay que criticou a cena vai chegar naquela idade, e a gente torce para que ele tenha alguém que o ame da mesma forma como acontece com as personagens. Novela precisa retratar a realidade, como homens que amam homens, mulheres que amam mulheres e claro, isso independe da idade, cor, raça ou religião. Finalizando nosso comentário sobre as críticas a cena:

VIADOS, MELHOREM!
VAI TER MAIS BEIJO LÉSBICO SIM, E SE RECLAMAR VAI TER CENA DE SEXO.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.