Ainda tem quem queira


Uma reflexão sobre envelhecer e fazer um acordo com o tempo
Texto: Marcio Rolim 

Mesmo que os clichês se esgotem em tentar fazer você acreditar que a beleza vem de dentro, que o tamanho do seu pau não importa, que cabelo grisalho é sinal de experiência e que velho é o mundo, o término de um longo relacionamento [ou um novo aplicativo de pegação] o fará lembrar que os anos passam, mas as exigências permanecem.

Ninguém quer morrer cedo, mas também ninguém quer ficar velho. Isso é lei. O ideal seria embalsamar sua barriga reta e seu pau pra frente durante a vida toda até que seus 89 anos lhe avisem que chegou a hora. Mas como não existe o ideal nesse mundo de meu deus, e a medicina está cada vez mais inovadora com sua oferta de beleza após os 50 para quem tem grana, que tal resolver algumas coisas dentro da sua cabeça?

Nenhuma fixação por beleza ou forma física é atraente. Por melhor que seja o resultado, a neurose só trará satisfação pra você mesmo. Portanto, o outro, em sua maioria, não está nem aí pra sua barriga chapada ou pra quantidade de cabelo que ainda permanece na sua cabeça. Se ele está com você, é porque o que ali está, o atrai. Sua cabeça não precisa ficar velha, precisa ficar madura. E livrar-se das neuroses é um passo obrigatório pra quem quer viver muito e bem.

Você vai ficar velho. A gravidade é implacável e não é só seu saco que vai cair. Seu peito, a pele do seu braço, do seu rosto e sua bunda também vão. Ter-se com inúmeras intervenções cirúrgicas pra resolver temporariamente algo inevitável só vai fazer você gastar uma grana que poderia estar sendo investida em boas viagens ou longas sessões de massagem (seguidas de sexo, ou não). Não é vergonha passar a cuidar da coluna e da lombar em vez da barriga e da careca. Vergonha é parar de se cuidar.


O sexo está na sua cabeça. Claro, parte dele está na sildenafila [ok, ela dá dor de cabeça, mas tem a tadafila para os mais granados] caso sua testosterona já não esteja mais em dia. Nada pode destruir mais sua performance sexual do que sua cabeça cheia de minhocas. Você aprendeu, ao longo da vida, a fazer tudo e mais um pouco na cama [na mesa, na cozinha...]. Não é uma broxadinha que fazer você esquecer. O tempo não leva sua criatividade embora.

Sim, tem quem queira. Quando você não conseguir mais fazer 400 abdominais laterais na academia e seu pneu insistir em ali estar, ainda assim, alguém vai olhar aquilo como uma coisa sexy. E não, não é aquela história de beleza interior. É que tem gente que gosta de tudo: de barriga, de peito magro, de careca, de tudo que é normal. Ainda que entre homens gays a busca por essa beleza eterna seja latente, sempre há quem busque o incomum. Quem é bem comum.

Por todos os fins, acerte-se com o tempo. Diga a ele que você tem planos além do corpo e que a fila é grande. Que você está prestes a recomeços a qualquer momento, ainda que isso lhe custe mais tempo. Informe, a quem interessar possa, que ali reside um homem com bem mais interesses pela vida que pelas coisas da vida. Que naquele novo corpo que o tempo moldou, e que não é perene, sempre residirá o melhor de você. Até o fim.

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.