Novo filme português trata do universo homoerótico da dança



A nudez masculina volta a estar no centro do trabalho de António da Silva. E desta vez soma-se um alerta sobre o estado das Artes em Portugal.

35 bailarinos portugueses decidiram despir-se para a nova curta do realizador português cujo trailer já está disponível online para visualização dos fãs. No filme a ser lançado, ao longo de 10 minutos, estes homens tornam-se objecto de desejo através de uma performace sensual e provocatória onde o pênis é o epicentro da dança.

E quem são os 35 artistas que aceitaram semelhante desafio? A resposta chega-nos por ordem alfabética: Ângelo Neto, Antonio Onio, Bráulio Bandeira, Bruno Alexandre Uka, Celso Jumpe, Claudio Filipe Oliveira, Daniel Pinheiro, Dário Pacheco, ‎Flávio Rodrigues, Filipe Baracho, Filipe Viegas, Gonçalo Beira, Ivo Serra, Luiz Antunes, Luis Guerra, Luka Mpasi, Martim Pedroso, Miguel Bonneville, Miguel Flor, Miguel Pereira, Nuno Gil, Nuno Labau, Nuno Silva, Paulo Guerreiro, Pedro Cunha, Pedro Nunez, Pedro Santiago Cal, Rafael Alvarez, Renato Pires, Sérgio Diogo Matias, Tiago Fonseca, Tiago Marques, Victor Hugo Pontes e Vitor Viegas.



Desta vez, a mensagem de da Silva é também política. Pouco resta aos artistas da dança em Portugal. Não há fundos que apoiem a disciplina. E, por isso mesmo, todos os donativos dos fãs (acesso a link explícito) do trabalho de António da Silva serão redireccionados para os bailarinos que se disponibilizaram a dar esta mensagem de alerta. Nus por uma causa: um país sem Cultura não vive e estes artistas não têm medo de desafiar a mentalidade sobre o que se pensa da nudez masculina. A prova é que dão o corpo por isso. No final de contas um pénis também pode dançar.

O filme tem estreia nacional marcada para o próximo festival Queer Lisboa que decorre entre 19 a 27 de Setembro. No site oficial você pode ainda conferir o trailler explicito, além de fotos e gif's do mesmo teor.

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.