Dica de filme: Ninfomaníaca I e II



E por incrível que pareça, a dica de filme desse mês será de um longa nada gay, mas incrivelmente relacionado com a nossas vidas [e de qualquer ser humano, independente da sua sexualidade].
Ao mesmo tempo que a tão famigerada obra do diretor dinamarquês Las Von Trier é diretamente relacionada ao sexo, "Ninfomaníaca" usa a sexualidade humana em todas as sua nuances, desejos e fantasias para fazer um traçado profundo do ser humano, e o que prometia ser o espetáculo do filme se torna, para os mais observadores, um plano de fundo para algo maior.

Sobre a protagonista Joe (Charlotte Gainsbourg), tudo o que resta é uma história contada desde sua infância até a decadência na vida adulta e suas experiências como uma mulher viciada em sexo, uma ninfomaníaca.
Ao seu lado, ouvindo atentamente sua histórias e aventuras sexuais, o solitário Seligman (Stellan Skarsgard), sempre pronto a traçar um elo - as vezes beirando o pedantismo -  entre o sexo, a história, a religião e a vida. Com tem um humor, cheio de sarcasmo e as vezes irônias, Joe mostra como o seu desejo a forjou para ser a mulher que é hoje, e como usou seu desejo como uma arma de poder.


Ninfomaníaca I e II merece ser visto não pelo excesso de sexo e nudez, mas pela forma inteligente como usa a parte mais secreta e vergonhosa do ser humano - seus desejos sexuais - para mostrar o quanto somos irracionais, desumanos, e previsíveis ainda mais quando espostos ao sentimento mais animal do nossa espécie: O DESEJO!

Um dos maiores erros nas duas produções foi exatamente o fato delas terem sido divididas. Entre o 1° e o 2° capítulo existe um buraco, que pode muito bem ser coberto, quando os dois são assistidos em sequência. Aliás, a dica maior é essa: assista aos dois filmes em sequência, que assim ele se torna bem mais interessante.

NINFOMANÍACA I e II
FORMATO: WEBRip/AVI´
ÁUDIO: INGLÊS
LEGENDAS: PORTUGUÊS
TAMANHO: 1.7 GB

LEGENDAS: BAIXE AQUI 
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.