7 Motivos para assistir "Hoje eu Quero Voltar Sozinho"


Ontem tive tempo para assistir o filme mais esperado do ano por 10 entre 10 moços. Como imaginei, a fila do cinema do tamanho da minha dignidade [enorme] e repleta de moços [juro que procurei um hetero e não achei] ansiosos para assistir "Hoje eu Quero Voltar Sozinho". 

Sobre o filme, separei 10 pontos importantes e que vão te fazer sair daqui correndo direto para o cinema, e já aviso, se você não curte spoiler é melhor nem ler, porque aqui o babado é certo.



O ELENCO: Na verdade fui generoso em dizer "o elenco", mas na minha opinião o destaque fica mesmo para Guilherme Lobo que soube com muita doçura interpretar Leo, o personagem principal do filme. Por ser  um personagem cego Leo percebe o mundo de uma maneira diferente, as vezes mais sutíl e mais poética, explorando tudo ao seu redor usando outros sentidos, o que exigiu muito do ator. Doce na medida certa, o personagem caiu como uma luva para o ator, que soube guiar bem as cenas de conflito, paixão e poesia. O filme termina mas o amor pelo personagem é quase eterno.



AS PIADAS: É impossível não rir de algumas cenas, com piadas leves e inteligentes, os momentos engraçados quebram o clima, as vezes frio do filme e chegam com um pitada de frescor. Palmas para o diretor Daniel Ribeiro, que soube fazer isso muito bem. 


TRILHA SONORA: Outra coisa linda no filme é a trilha sonora, cheias de músicas calminhas, gostosas, do tipo que quando termina, a primeira coisa que você quer é baixar e continuar ouvindo. Talvez a mais presente em todo o longa seja a deliciosa baladinha "There's Too Much Love" da banda "Belle & Sebastian", que chega na hora certa, numa das cenas mais fofas.
Vale informar que tem também David Bowie com "Modern Love", Cícero com "Vagalumes Cegos," a gostosa "Janta" do Marcelo Camelo e Mallu Magalhães e aquela música fofa que ninguém conhece "Beijo Roubado em Segredo" da Tatá Aeroplano/ Juliano Polimeno. Aliás, já podem apertar o play e ler o resto do post com ela ao fundo.


A DELICADEZA: Sobre todos os dramas o maior é a liberdade buscada por Leo, que a todo tempo é negada pelo mundo super protetor ao seu redor, mais precisamente sua mãe e amigos. Mas o filme vai além, fala do amor, da descoberta da sexualidade, e tudo isso de uma forma tão natural, tão direta e ao mesmo tempo bem profunda. Nada de grande dramas, ou de um adolescente rebelde ou politicamente correto, "Hoje eu Quero Voltar Sozinho" mostra todos os desejos, inclusive os carnais, sendo explorados por um garoto que ainda não deu nem o primeiro beijo.



SEXO E NUDEZ: Calma safadinhos, o filme não tem cena de sexo, mas tem nudez [todo mundo fazendo cara de espanto] e olha, é tudo tão natural que rola até uma pitada de humor. Outra coisa linda do filme é a forma como ele mostra o desejo de Leo pelo seu amigo de sala Gabriel [Fabio Audi]. E quando falo em "desejo" quero dizer o carnal mesmo, pele com pele, sexo, e nesse caso masturbação. A cena onde isso é expresso é tão mágica, tão pura ~ ai gente, eu fiquei emocionado ~ e usa o cheiro como um combustível para as fantasias do moço cego.



FODA-SE O PRECONCEITO: Claro que num ambiente de adolescentes, escola, e descobertas, sempre existe uma dose de preconceito e desrespeito, seja pelo fato do personagem principal ser um cego, ou pela própria sexualidade que ele expressa. Ele sofre, literalmente cai, mas a sua reação é a melhor possível. Sobre o fato de ser cego, depois da queda nada melhor do que se erguer, Leo nega a ajuda e mostra que pode se virar sozinho, e sobre a homofobia e piadas sobre a sua sexualidade ~ a imagem já diz tudo.



FINALMENTE O AMOR: O nascimento da amizade de Leo e Gabriel é algo natural, sem dramas e comum, já a evolução até isso se tornar amor é turbulenta. De um lado Giovana [Tess Amori] a melhor amiga dos dois, traça um triângulo, hora amando Leo e depois amando Gabriel. Entre uma dança, um toque de mão e um abraço, os meninos vão descobrindo seus sentimentos um pelo outro, seja pela surpresa do beijo roubado, ou pela cena linda, onde tudo que Gabriel quer é devolver ao dono o beijo que ele lhe roubou.

Depois que o filme acaba, a sensação que fica é aquela de sair do cinema acreditando no amor. "Hoje eu Quero Voltar Sozinho" é doce, leve e direto, sem muita embromação, ou grandes dramas, mas isso não faz o filme ser melhor, nem pior, pelo contrário, ele só dá mais margem para que as coisas lindas desse processo sejam exploradas.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.