Dica de livro: Mais do que faz de contas



Você ainda de férias, com o tédio batendo fortíssimo, uma falta do que fazer e blá blá blá.
Bem, já aumentamos aqui o ritmo das dicas de filmes que é mensal, mas durante o mês janeiro estamos compartilhando um filme novo a cada final de semana, mas pra quem acha pouco, que tal um livro bacaníssimo?

O livro é "Mais do que faz de conta" e foi uma dica que recebemos de um leitor, e que merece os créditos, o fofo do Andy Gilmore (tradutor) e Agnes Sweet (revisora), que disponibilizaram essa delícia pra gente, agora senta que aqui tem um resumo da história.

Travis é um jovem de 21 anos que divide todo o seu tempo entre a faculdade e dois empregos.
Quando sua madrasta convence seu pai a cortar o dinheiro do aluguel Travis se vê numa situação difícil: os dois empregos não eram suficientes para pagar suas poucas despesas e um terceiro trabalho só era uma opção se ele deixasse de dormir.
O anúncio que oferecia dinheiro fácil e rápido para modelos homens, maiores de 18 anos, era convidativo e, de repente, Travis se vê dentro do mundo pornô gay.
O único problema era que fazer sexo com outro homem nunca foi algo que ele cogitou. Até ali, seu interesse era apenas em mulheres.
Mas Marston Cougar, um ator pornô renomado, estava ali apara mudar aquilo. Estritamente profissional, distante e misterioso, Marston conseguiu provocar, sem querer, sensações e sentimentos que Travis nunca pensou poder sentir.

O livro, repleto de cenas picantes, é um relato bastante fiel da Indústria Pornô Gay Americana, cheia de jovens sem dinheiro, produtores ricos, atores que estão ali por diversão e atores que se identificam como heterossexuais, fazendo aquilo somente por dinheiro: os chamados Gay For Pay (gay por pagamento/dinheiro, em tradução livre).
Mas não se engane, Mais Do Que Faz De Contas é, acima de tudo, uma história de amor.

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.