Em "Amor à Vida", Félix virou "bichinha pão com ovo"


A criatura tanto aprontou que, além de todas as suas regalias, perdeu o aconchego do próprio lar... Quase perdeu o "Amor à Vida" (Globo).

A semana começou sem muito glamour para o tresloucado Félix (Mateus Solano), que foi recebido no "muquifo" da ex-chacrete Márcia (Elizabeth Savalla) a pão com ovo.

E não bastasse o miserê todo, Félix ainda teve que ouvir o melodrama da vida da dançarina, que envolvia um irmão seu morto acidentalmente, quase que por culpa sua, quando ela então era babá das crianças.

Mas nem a "Pícara Sonhadora" (SBT) sonharia com um babado desses. Nem que "Maria do Bairro" (SBT) cantasse "Babalu" em aramaico, alguém em sã consciência envolveria essas personagens nesse nó tão cego. Que água será que Walcyr Carrasco anda bebendo?

"Eu devo ter atendido o celular durante o Sermão da Montanha!", disse Félix numa de suas tiradas nada a ver, mas que são as melhores partes do texto. O vilão esnobe e afetado condenado a viver na casa de Lili Pára-Choque e Pára-Lama (ou vice-versa) --que ostenta um tenebroso arranjo floral na cabeça para o seu horror estético, continua sendo o foco central de "Amor à Vida"-- que bem poderia se chamar "Félix no País das Maracutaias".

Falando nisso, o que deu nesse tal de Niko (Thiago Fragoso) que está se deixando enganar feito um bocó pela "vaca" da Amarilys (Danielle Winits)? Perdeu o "bofe", se bobear perde a casa e ainda os dois filhos adotivos. Antigamente --bem antes do "politicamente correto", dizia-se objetivamente: "bicha burra nasce homem". Não foi o que aconteceu com o personagem. Talvez fosse o caso dele adaptar um clássico da dramaturgia infantil de Maria Clara Machado, "A Bruxinha que Era Boa" e protagonizar "A Bichinha que Era Burra". Sucesso na certa.

Via: FOLHA UOL
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.