Exército dos EUA tentou criar uma ‘bomba gay’



Outubro, nos Estados Unidos, é celebrado o LGBT History Month! Durante todo o mês, os americanos relembram momentos históricos relacionado à comunidade gay. Entre tantos eventos, um deles chamou nossa atenção! Trata-se de um plano dos anos 1990, quando os militares norte-americanos consideraram a criação, chegando até a financiar estudos, de uma “bomba gay”.

A ideia surgiu após a iniciativa de se desenvolver armas não-letais que fossem utilizadas nos mais diversos conflitos. Segundo os EUA, “o Departamento de Defesa está sempre comprometido em desenvolver armas não-letais que possam dar suporte aos nossos homens e mulheres de uniforme”.

A “bomba gay” foi uma proposta formulada em 1994, pelos cientistas do laboratório Wright, do Exército do Ar alocado em Dayton, Ohio. Eles, inclusive, solicitaram na época um orçamento em torno de US$ 7,5 milhões para a pesquisa e produção desse projeto.

Exército dos Estados unidos tentou criar uma ‘bomba gay’

Ela concentraria grandes doses de feromônios masculinos. Dessa forma, o artefato “conteria um químico que tornaria os soldados inimigos gays, fazendo com que as unidades se desmantelassem uma vez que os combatentes se tornariam irresistivelmente atraentes uns para os outros”. Dá pra imaginar?!

O projeto foi mantido em segredo por muitos anos, até que em 2004, os pesquisadores do Sunshine Project, uma associação que luta contra o uso de armas biológicas, encontrou os documentos que indicavam o desenvolvimento da tal “bomba gay”. De início, o exército dos Estados Unidos negou a ideia. No entanto, vários documentos foram revelados, como a própria proposta feita pelo laboratório Wright e que era denominada como “Harassing, Annoying and ‘Bad Guy’ Identifying Chemicals” (algo como “Químicos capazes de incomodar, molestar e identificar ‘caras malvados’”).

O Pentágono depois admitiu que o estudo até pode ter sido considerado, mas por um breve período de tempo. Segundo o Sunshine Project, no entanto, os militares chegaram a enviar o projeto para ser examinado pelos melhores cientistas do país para ser considerado. Os resultados não devem ter sido bons, uma vez que um documento citando apenas que “novas descobertas são necessárias” também foi encontrado.

Via: Pheeno
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.