Lady Gaga performa seis música do ARTPOP em festival ~ vem ver


Vamos falar de uma coisa que eu simplesmente adoro: a Lei de Gaga.
Eu sei que vai ter little monster me praguejando por isso, mas já aviso que estou cagando para cada um de vocês.
A gatinha mother monster se apresentou hoje no iTunes Festival e para a alegria de todas nós, das oito musicas performances, seis delas eram inéditas e estão na list do próximo álbum da gatinha ARTPOP.

Como era de se esperar, e new revolucionária do pop veio botando para quebrar, e já aviso, emoções fortes vem por ai. A primeira fica por conta de MANICURE, o tipo de música gostosa de se ouvir, mas não significa que seja a mais dançante. Nessa música Gaga parece que trouxe a tona suas raízes do pop de 80 e 90 e acreditem, as batidas, letras e vocais tem cheiro de "THE FAME". Para quem curtiu o primeiro CD dela, com certeza vai curtir essa. AI GENTE EU AMEI!



Fica até difícil de continuar esse post, porque a Gaganás veio realmente sambando na cara de todas. Quando você pensa que não pode melhorar, a rapariga performa AURA ~ e fiaton que música é essa garalho? Aposto minhas fichas como best single do ARTPOP fica para essa música. Já a performance, para alguns pode ter sido exagerada, mas meu amor, estamos falando da Gaga então isso é sinônimo já.
De ninja, com faca na mão, ela simplesmente fica amarrada e suspensa no ar. Desafinou? Mas se levar em conta todas as presepadas que ela faz no palco, isso não quer dizer nada, mesmo assim ficou digno ~ PALMAS!



Gaga mais uma vez com suas mensagens, significados e alusões, SWINE deve ser mais um single desses. Usando uma máscara de porco, ela vem ao palco de forma intimista, tocando teclado com uma melodia suave e envolvente, mas não ia terminar assim. Do nada uma "pomba gira sete saias" toma conta do corpo da gata, ela começa a cantar louquíssima da xibata e a tocar bateria [ ao mesmo tempo] e pow a música evolui para uma batida eletro boca.de.se.fuder ~ já me imagino colocadíssimo, rodando no meio da boate ao som dessa delícia.



Agora sente que é hora de chorar. Para quem deu vida a baladas românticas belíssimas como "Brown Eyes" e "You and I", não podíamos esperar coisa melhor, e assim nasceu “I WANNA BE WITH YOU”, uma música linda, tocante e sinceramente torço para que cada uma de vocês arrumem um macho, só pra ter essa música como tema do namoro de vocês. Gaga consegue mostrar seu potencial vocal nessa performance, e faz valer o que ela mesmo já falou uma vez, quando comentou que bastava sua voz e um piano para que ela tocasse o coração das pessoas ~ PERA QUE EU TÔ CHORANDO!


Lei.de.Gaga consegue desfilar muito bem entre o pop, o romântico e agora a amapô deus as caras no hip pop, no single "JEWELS E DRUGS" ela tem a participação do rapper TI, e sinceramente, sou gay e não sou obrigado a gostar de hip hop, mas a música ficou até legalzinha, dá pra fazer até o quadradinho de oito ~ BRIKS TÁ, PULA PARA A PRÓXIMA!


E quem também ganhou os palcos foi a música que dá nome ao CD "ARTPOP" é gostosa, mas nada que chegue perto de farofa ou que reine nas pistas de dança. Imagine "Love you like a love song" da Selena + "Ray of Light" da Madonna, e assim ficou a música, mas não chega a ser plágio tá? Vestida de Yemanjá Quenga com aquela piruca que deixa ela com cara de doida, a gata performou.


Ficou notório que Gaga parece ter maneirado nos exageros, nos figurinos, e até veio limpa, com seu cabelo em estado natural, pretíssimo e relativamente curto. Fica difícil julgar ARTPOP conhecendo apenas seis músicas, mas ficou claro que ele não esta tão sombrio como na era do "THE FAME MONSTER" e nem tão ideológica e defensor dos fracos e oprimidos como no "BORN THIS WAY". Confesso, fiquei curioso e ansioso pelo lançamento do disco ~ A GUERRA VAI SER SÉRIA!

AGORA VEM ASSISTIR AO SHOW COMPLETO


Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.