Papa Francisco pede respeito aos gays


Hello moços, depois de alguns dias longe do blog, eu voltei. Na verdade ainda estou me recuperando de uma pequena cirurgia ~ não foi uma vaginoplastia, sorry ~ e por isso fiquei longe de vocês, mas quem curte a gente no twitter @paramocinhos reparou que eu expliquei tudinho por lá, e até interagi caz.gays ~ agora vamos a notícia.

Para Francisco já chegou chegando, quebrabo protocolos, se mostrando um amor de pessoa, super humilde e sorridente, mas claro, ele é religioso, é católico, é o Papa o que significa que nunca será a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo e muito menos da adoção por casais homos ~ ele já declarou isso para quem quiser ouvir.

Em 2010, entrou em controvérsia pública com a presidente Cristina Kirchner ao afirmar que a adoção feita por casais gays provocaria discriminação contra as crianças. Suas declarações polêmicas incluíram a condenação publica ao então projeto do casamento entre pessoas do mesmo sexo, aprovado em 2010 no país, transformando a Argentina no primeiro país da região a adotar a medida. “Não sejamos ingênuos, não se trata de simples luta política, mas a pretensão destrutiva ao plano de Deus, o de um homem e uma mulher crescerem e se multiplicarem”, afirmou. O padre Nicolás Alessio (53 anos) foi expulso do Tribunal Interdiocesano de Córdoba (norte) por apoiar o casamento gay.

O novo papa também foi contrário à lei de identidade de gênero aprovada em maio de 2012 e que autoriza travestis e transexuais a registrar seus dados com o sexo escolhido.

Mas calma, apesar de tudo isso, Papa Francisco parece com encherga que os gays também são gente e por isso merecem respeito. Os sacerdotes que trabalharam com ele em Bueno Aires afirmam que “ele condenou as críticas e a falta de respeito aos gays”. E antes de assumir o papado, Francisco fez a seguinte declaração em uma entrevista “É importante respeitarmos as escolhas individuais".

Podemos chamar isso de avanço?

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.