Homens também fingem orgamos



Quem disse que sexo é só penetração?
Há quem acredite nisso, mas sabemos que na verdade um sexo bom e gostoso vai muito além.
Quando se trata do assunto entre heterossexuais, sempre rola aquela história de que as mulheres fingem orgasmo, e que o foco do sexo são apenas os homens, mas e quanto aos gays?! Será que é diferente?

Não, na verdade nem tanto. Os homens também fingem orgasmo, inclusive quando o sexo é com alguem do mesmo gênero.
De acordo com uma pesquisa da Universidade do Kansas, um terço dos homens já fingiu que estava gozando. São diversos motivos que levam ao teatrinho, mas os principais são: o orgasmo alheio foi tão legal que a pessoa se sentiu obrigada a ter um também, mesmo que falso, vontade de terminar o sexo sem machucar os sentimentos do parceiro e o tédio que bateu depois de notar que a relação estava tão morna que ninguém ali teria prazer.


Vale lembrar que estamos abordando o sexo entre dois homens, companheiros, namorados, e não apenas aquela coisinha sem compromisso que você marcou pela web com algum desconhecido. Nesse último caso, quase sempre o prazer é restrito para um dos "personagens", o outro que se vire como quiser.

Já numa relação sólida sabemos que não é assim, você está sempre preocupado em fazer o outro gozar e esquecer de aproveitar o sexo. O que deveria ser bom para os dois, acaba sendo frustrante graças a preocupação generosidade de um dos lados.

Pode parecer um pouco injunsto imaginar que um dia seu parceiro fingiu que teve um orgasmo quando estava com você, mas na maioria das vezes isso não significa que foi ruim para ele, na verdade ele se focou tanto em você que esqueceu de sí mesmo.

A lição maior que aprendemos com isso é que acima de tudo, o sexo é feito por dois e para dois. Devemos aproveitar isso com o corpo todo, inclusive com a mente. Deixe tudo correr naturalmente, ame a si, e ame o outro também, no final tudo fica mais gostoso desse jeito.

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.