Os 5 melhores CD's de 2012


Pra não fugir a regra, andei vasculhando meus arquivos e escolhi os 5 cd's que na minha humilde opinião foram os melhores de 2012. Tem mágoa, tem soul, tem pop, tem indie, tem chiclete e farofa.
E olha, se a sua diva não entrou pra lista, não precisa ficar com raiva de mim, vai ver eu não conheço a amapô, ou então ela realmente não lançou um álbum que preste durante os últimos 360 e poucos dias do ano.

Lana Del Rey ~ Born To Die: Quem iria imaginar que a tal cantora plástica iria ser uma das mais amadas e desejadas no hype da música atual? Lana, sempre deixou bem claro, que foi uma artista "produzida" e criada artificialmente ~ plástica. Desde seus lábios inchados, passando pela estética de atriz hollywoodiana decadente. Suas músicas que insistiam em falar de morte e amor, foram tomando lugar nos nossos sofridos corações, e em pouco tempo "Born to Die" que foi lançado em janeir, já tinha seu lugar.
A voz e o jeito sofredor de fazer música sempre foram a marca da moça, muita mágoa de cabocla, que com o tempo foram dando espaço para um outro lado Del Rey ainda desconhecido.
Daí chegou "Born To Die (Paradise Edition) e com ele a safadíssima letra de "Cola", e é com ela que fechamos o box da Lana, indiscutivelmente um dos melhores CD's de 2012, mas por favor, não comparem a gata com a Amy Whinehouse:  "my pussy taste like Pepsi cola"


Emeli Sandé ~ Our Version of Events: Pra quem ainda não conhece Emeli Sandé, a dica é correr e ouvir agora. Ela foi um dos nomes com maior notoriedade do R&B e soul no último ano. A inglesa de 25 anos, visual masculino e voz marcante não surgiu do nada. 
Emeli já reunia na lista várias composições famosas, entre elas podemos citar Cheryl Cole que já deu a voz a uma das composições de Emeli. Entre os principais singles do seu primeiro álbum lançado em fevereiro, todo o destaque vai para "Heaven", "Next to Me" e "My Kind of Love". 
Letras perfeitas, arranjos mágicos e uma puta voz pra ouvir e não esquecer. Por falar em voz e letra, vamos com essa pra amar " But don't ever question that my heart beats only for you. It beats only for you".



Marina and The Diamonds ~ Electra Heart: Para os fãns da Marinete ainda nos tempo de "The Family Jewels", o lançamento de "Electra Heart" veio quase como um tapa na cara. Já que a cantora até então considerada indie e fora do mercado, se agarrou no mainstream e veio assim, com seu alter.ego Electra, toda pop-chiquele e farofadíssima. 
Nem vou pagar de fã imbecil que quer privar a gatinha de chegar aos ouvidos de todos, mas a mudança foi grande. Com produção e parcerias super pop's como Dr. Luke, Diplo, Stargate e DJ Chuckie, Marina explodiu no mercado, com singles como "Primadonna", "Power & Control" e "How to Be a Heartbreaker", esse último que foi incluso na versão americana do CD ~ vontade de conquistar a américa ela tem e isso já deu pra perceber. Elogiado pela críticas graças as letras bem inteligentes, o álbum não foi apenas uma mudança no estilo musical, mas também no visual da moça, e na maneira de se mostrar ao mundo, bem mais safada, já nessa nova fase Marina abusa de modelos cheios de magia e pouca roupa, em seus clipes. Não chegou ao ponto de ser "the new bitch do pop", mas se continuar farofa desse jeito, essa pode ser uma visão do futuro. No mais, "Electra Heart" é divertido, mas ao mesmo tempo trata de uma personagem fria, fala do amor e suas tragédias e como escapar delas, sente o drama: "This is how to be a heartbreaker.Boys they like a little danger. We'll get him falling for a stranger.


Ellie Goulding ~ Halcyon: Desde 2009 que a pobre Elena procurava seu lugar ao sol, e depois de lançar Lights, Bright Lights (relançamento do Lights) e Lights US, a inglesa conseguiu explodir nos ouvidos e corações dos amantes do indie e pop. "Halcyon" lançado em 2012 talvez seja o mais maduro de todos os trabalhos da moça, com uma voz doce, mas mesmo assim bem marcante, Ellie conseguiu explorar bem isso, e fez a sonoridade do último cd ser algo capaz de te fazer fechar os olhos e voar. Atualmente a moça namora o DJ e produtor Skrillex (respeite), e conseguiu entrar para o hall da inglesas que se jogaram ao pop e souberam brilhar. Entre os singles de "Halcyon" o destaque vai para "Anything Could Happen", com uma mistura pop e indie super cativaente, é chegar no refrão, dar um pulinho e cantar junto, afinal tudo pode acontecer. Vou contar um segredo pra vocês: se depender de mim, esse seria eleito "O CD DO ANO" ~ apenas.




Ke$ha ~ Warrior: Juro que depois da era "Animal" e "Cannibal" em 2010, não acreditei que a pequena suja do Tennessee conseguiria fazer algo bom o suficiente para me cativar, mas foi ai que me enganei: ELA CONSEGUIU! 
Apesar de recente ~ foi lançado em dezembro, o álbum Warrior já tem dois singles bombadíssimos. 
O primeiro foi o polêmico "Die Young", com direito a clipe cheio de mensagens illuminatis e fuá envolvendo rádios, e atentados, e agora o recém divulgado new single "C'mon". 
Aos ouvidos, "Warrior" não foge muito ao pop farofa dos primeiros trabalhos da moça, mas esteticamente Ke$ha tem tentado mudar, primeiro tomando um banho, tirando essa cara de suja e cantando ao vivo, e de verdade ~ sim, ela conseguiu. 
Se continuar nesse ritmo, ela pode ir mas longe do que imaginamos, e convenhamos, é impossível não dançar ao som dos singles dessa gatinha.
Agora deixa eu contar qual é a minha música preferida nessa delícia de CD: "And we are, we are we are, we are we are. The crazy kids, we are the We are the crazy people".


Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.